Grã Bretanha

Página 2 de 12 Anterior  1, 2, 3, ... 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Fantasma em Sab 18 Jul 2015 - 13:36

Sven Nykvist

Grã-Bretanha - Inicio da Noite alguns minutos antes

Sven havia despertado de seu sono. Ainda deitado pensava no que iria fazer durante a noite, ele deveria seguir até um restaurante para se encontrar com seu contato da Organização. As vinte horas.

— Ainda são seis e pouca da noite. Tenho algum tempo até as vinte horas. Preciso beber um pouco. — Mesmo sendo vampiro, o caçador precisava parecer para sociedade um humano como outro qualquer.

Após tomar um banho relaxou por alguns minutos, bebeu algumas cervejas, leu algumas notícias na internet. Ligou para alguns contatos fora da Grã-Bretanha. Lembrou de seu ex-aprendiz, desejando que ele não estivesse em perigo.

A terceira figura do encontro que Sven presenciou na noite anterior. O caçador sabia que L não teria sucesso em caça-lo. — Conhecendo ele bem, acredito que tenha seguido aquele elemento...

O caçador não ligava para vampiros que não estivesse caçando. Em diversas ocasiões se deparou com vampiros, como não estavam na pauta da noite, os mesmos não foram caçados.

Por volta das dezenove horas Sven se preparou e seguiu para o seu encontro. Antes, porém tomou alguns copos de sangue. Após algumas quadras percorridas com seu automóvel o caçador chega a rua do restaurante.

— Vou aguarda por alguns minutos. Faz parte do protocolo aguardar, mas não por muito tempo. —  Se o contato não chegar, o caçador saberia que algum problema ocorreu.

Enquanto aguarda Sven pega no bolso interno do blazer negro que usa um smarthphone. É começou a mexer no aparelho. Ele saberia quando o contato entrasse no local.

Mais poucos minutos passaram desde a chegada de Sven ao restaurante. Por alguns segundos o caçador se distraiu com uma música que toca no estabelecimento. Naqueles segundos o seu contato chegara, de forma bem discreta. Com a mão sobre o ombro do caçador o homem falou algo:

—  Devo concordar, a cada dia que passa estou usando mais esses aparelhos. Antigamente as coisas eram bem mais simples na minha época. Mas que bom que chegou. Bebe alguma coisa? Estou bebendo um Club Soda.  —  Perguntou Sven ao seu contato. Haviam alguns anos que o homem não era seu contato.

O Contato do caçador já se conheciam a várias décadas. Em algumas oportunidades atuaram como uma dupla para resolver assuntos do interesse da Organização. Tempos passados, Sven não sabia como andava seu ex-companheiro de missões. Ao que parece estava atuando internamente.

— Quais são as instruções da Organização para mim aqui nessa cidade?  — Perguntou o caçador em tom baixo ao homem. Seja o que for Sven  iria compreender e executar. O caçador possuía uma espécie de dívida com a Organização, ou melhor, com o padre que o acolheu em seu pior momento.

Fantasma
NPC
NPC

Mensagens : 132
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Sab 18 Jul 2015 - 15:02

Rhiannon se envergonhou quando percebeu sua reação exagerada, pois denunciava seus pensamentos em relação ao recém - chegado. Ficou surpresa quando ele a reconheceu, afinal quando se encontraram na madrugada anterior o ambiente não estava bem iluminado, se não fosse por certas características marcantes com a aura e o intenso olhar não teria reconhecido-o, mas ela era uma pessoa de aparência comum, como ele a memorizou em poucos segundos e em condições limitadas era a pergunta que vinha a sua cabeça. Sentiu que estava deixando escapar algo.

Suas mãos se tocaram por um instante e mesmo a luz do dia Rhiannon pode ver a luz envolta dele, segurando os livros não sentiu medo nem dor, nem mesmo um calafrio a sensação era mais algo reconfortante do que qualquer outra coisa. Quando se deu conta estava novamente constrangida enquanto notava seu rosto esquentar, tinha quase certeza que seu rosto estava vermelho, apenas torcia para ele não perceber.

Tentando parecer amigável, mesmo se comportando como uma idiota sorriu sem graça, seu desejo era sair correndo, mas não poderia fazer isso todo vez que encontrasse com ele.

– Sim, nos encontramos novamente. Prazer Lucian, eu sou Rhiannon Hefaidd, sei que é um nome difícil de lembrar por isso pode me chamar apenas de Rhia. Peço desculpas pela noite anterior, meu comportamento não foi dos melhores.
Depois disso uma conversa longa e demorada aconteceu, enquanto Rhiannon se sentia mais a vontade com o novo hóspede da pensão, seu coração já não acelerava, a aura que o envolvia era mais neutra quase imperceptível após se acostumar com ela. Sentaram em uma das mesas de verão onde se podia tomar um café ou apenas apreciar a vista.

O sol estava tímido no céu, grossas nuvens cinzas colidiam com nuvens brancas que pareciam algodão doce, assim passou o dia com os dois revelando um pouco de si para o outro, o entardecer veio rápido, Rhiannon precisava ir, tinha uma consulta com mais um imortal, se despediu de Lucian e desapareceu, mas não antes de olhar para trás e ver aquela aura que parecia um manto.

Enquanto seguia seu caminho a jovem de cabelos escuro se perguntava se poderia acreditar em lendas antigas, muitos tempo narradas em volta da fogueira, enquanto os ciganos dançavam para espantar os maus espíritos, alguns dos sinais daquela lenda se chocavam.

“— Será que deveria tê-lo convidado para jantar? Não seria uma boa ideia mesmo que a consulta não demorasse acho que trazê-lo comigo poderia ser perigoso”. — Pensou Rhiannon, enquanto caminhava pelas ruas que se escureciam ao esconder do sol.

A noite esfriou rapidamente e não queria se demorar afinal tinha livros para estudar, conhecer os mistérios que envolvia as magias celtas, pontos de poder espalhados pela Inglaterra, as mesmas coisas que deram origem a historias de Merlin e os cavaleiros de Arthur, o quanto desta historia seria real?

Mesmo pensando nisso o sorriso do novo hospede assolava seus pensamentos, sentia-se tranquila e preenchida após este tempo com ele, nunca havia se sentido tão confortável e segura, mesmo seu instinto na noite passada pedisse para ela fugir assim que o viu.


Saindo do seu devaneio, entrou em um restaurante, cujo o ambiente era até que aconchegante. Sentiu um calafrio, sinal que seu cliente já se encontrava por ali, procurou-o nos pontos discretos do local até encontra-lo. Tranquilamente, se dirigiu até o imortal.

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Sab 18 Jul 2015 - 16:39

A noite havia chegado mais rápido do que o de costume, mas a vida possuía destas coisas, quando desejamos que o tempo pare e se eternize, é neste momento que ele insiste em acelerar era assim que pensava Lucian ao estar na presença de Rhia, havia descoberto o nome dela.

Seus olhos em nenhum momento abandonou os delas, cada gesto, cada sorriso, cada movimento de cabelo era observado por ele, o perfume que exalava de sua pele o fazia por um momento esquecer o motivo principal de sua vinda para Grã Bretanha. Com o sol se escondendo no horizonte, Rhia se despediu partindo, Lucian deu mais uma rápida volta e retornou a pensão para tomar um banho.

Meia hora havia se passado o céu noturno agora estava sendo revestido pelas estrelas, mais cedo Lucian viu um bar, o cheiro adocicado era muito forte, deduziu que ali seria um bom lugar para começar a sua investida, saiu da pensão direto para lá. Chegando ao bar se dirigiu ao fundo do local, do lado oposto conseguiu localizar dois vampiros, ele os observava enquanto, fora surpreendido ao ver Rhia adentrar no bar, mais a frente ela se dirigiu a uma mesa.
Os dois vampiros no bar conversavam o mais velho trajava uma calça social e camisa comprida dobrada até os cotovelos, ele bebia enquanto falava com o mais jovem, o mesmo respondeu sorrindo.

—  Devo concordar, a cada dia que passa estou usando mais esses aparelhos. Antigamente as coisas eram bem mais simples na minha época. Mas que bom que chegou. Bebe alguma coisa? Estou bebendo um Club Soda.  

— Sim, mas não Soda sabe que gosto de algo mais forte. — Sorriu chamando o barman.

— Quero um vodka pura amigo. — Sorriu para o barman, um sorriu alegre e travesso.

Lucian tentava se ocultar, mesmo ao longe e a música de fundo, conseguia escutá-los, só precisava se esforçar um pouco. Após a bebida chegar, o homem virou o copo de uma só vez, e se virou para o mais jovem com uma expressão séria.

— Sven... Sua missão e difícil desta vez, uma agitação está ocorrendo, noite anterior foi eu que estava fazendo uma vistoria na área, vi seu pupilo, bastante imprudente, pensei que o tivesse treinado melhor, ele quase morreu. — Disse o homem passando a mão nos cabelos enquanto pedia mais uma dose.

Lucian se camuflava com a baixa luz do lugar, bebia apenas uma soda, tentava não perder o foco entre escutá-los e ver se Rhia estava fazendo, a dúvida de qual era mais importante estava começando a fazer seu julgamento se perder, uma agitação crescia em seu interior.

O jovem que se chamava Sven não retrucou a fala do homem apenas perguntou:

— Quais são as instruções da Organização para mim aqui nessa cidade?

O homem sorriu balançando a cabeça. — Você como sempre busca apenas a realização de sua missão, pois bem vamos sair daqui, pois preciso lhe mostrar algo primeiro... — Disse o homem retirando algumas notas do bolso e deixando sobre o balcão.

Esperando alguns segundos Lucian saiu atrás deles, os seguindo discretamente, o vento estava contra ele, o que fazia seu cheiro se perder na noite, eles caminharam para um beco escuro. Logo Lucian os perdeu de vista, mas conseguiu achar seu rastro, mesmo receoso por deixar Rhia sozinha ele precisava entender o que aquilo significava, a poucos metros de distância dos dois em um pouco mal iluminado.

— Desculpe velho amigo... Não queria mesmo fazer isso, mas existem coisas maiores acontecendo, é você poderia seria uma pedra no sapato, espero que entenda não é nada pessoal apenas negócios. — Olhando ao longe, Lucian ampliou sua visão.

O que viu foi o homem mais velho segurando o coração do mais novo na mão direita, enquanto o corpo caia seco ao chão enquanto o sangue escorria criando uma pequena poça de sangue, alguns segundos depois o corpo foi se desintegrando virando apenas poeira.

O coração logo se tornou apenas uma forma escura que se desintegrou em seguida. O homem limpou sua mão em um lenço, depois desapareceu pelas ruas da Grã-Bretanha, Lucian se ocultou para que ele não o visse, não era o momento de um confronto, ainda confuso retornou ao bar para ver em que situação estava Rhia.

O que ela estaria fazendo ali? Será que ela sabia o que ele era? Se sim o que estava fazendo? Arriscando sua vida daquele jeito? Se não ele não queria sequer imaginar o que poderia acontecer se permanecesse mais tempo ali. Seu punho fechou em frustração não poderia interferir, mas observaria ao longe, se ele fizesse algo ele agiria, seus sentidos estavam afiados para qualquer movimento.


Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Fantasma em Sab 18 Jul 2015 - 16:57

Oliver Rolf Kahn

A vida é bonita, pelo menos era isso que minha mãe sempre dizia, pelo que eu sabia ela realmente nunca esteve errada com essa afirmação. Eu vivi por novecentos anos sem que tivesse feito pouca coisa, já havia feito de tudo na vida, já havia vivido milhares de vidas diferentes. Eu estava ali agora naquele restaurante esperando alguém, que demorou um pouco mais do que o esperado, esperar sempre me irritava, isso era incômodo de mais para mim. Mas, no fim das contas toda aquela espera deveria valer a pena. A bonita jovem chegou e parecia me procurar, aos poucos pareceu me perceber e se aproximou sentando-se a mesa.

— Não é educado fazer as pessoas esperarem sabia?

Sorria cordialmente como quem apenas cumprimentava, um sorriso que embora fosse bastante cordial ainda demonstrava muito da personalidade de seu dono, Oliver sempre fora assim, era perceptível que seu pequeno sorriso escondia algo, mas como ele era assim, parecia estar sempre escondendo algo, como o seu pequeno interesse pela garota.

— No fim das contas... Sou Oliver, é um prazer estar na presença da grande Rhiannon, os rumores sobre você andam se espalhando muito rápido sabia? — Um leve movimento levantou-se para puxar a cadeira  para ela uma cadeira, e novamente sorri.  — Deveria se sentar, talvez beber ou comer alguma coisa?

Voltando para o seu lugar voltou a  observa-la um pouco mais, estava curioso quanto há até onde iam as habilidades daquela jovem, pois pelo que os boatos falavam ela seria muito útil aos meus planos, ela poderia me ajudar a fazer o que eu queria, talvez fosse a única capaz disso no final das contas.  Enquanto a observava cortou um pequeno pedaço do filé que havia pedido antes que ela chegasse é o colocou na boca, com um leve e tranquilo mastigar.

Carne era a única coisa que ele ainda adorava comer, olhou para a moça novamente, mas agora de uma forma diferente, estava à espera de que ela lhe dissesse ou perguntasse algo, mas se podia perceber uma presença, aquele homem, seu cheiro, o som de sua respiração, Oliver podia perceber que era um de "nós", mas o que ele fazia ali e qual a razão de ele estar nos observando tão atentamente? Ele teve que dar uma pequena risada ao ver ele fechar o punho como quem estava pronto para um ataque, será mesmo que aquele rapaz não sabia quem Oliver era ou o que era? Ele era maluco com certeza, novamente olhou para a jovem a sua minha frente apontando para o homem que os observava com a faca.

— Conhece aquele homem? Não sei por que, mas ele nos observa com muito interesse, mas, sabe... Me incomoda quando as pessoas ficam me encarando, eu acho que devo matá-lo de uma vez assim podemos conversar num lugar onde ameaças como essa não dêem as caras.

Continuou a comer mais um pequeno pedaço da carne se levantando rapidamente enquanto ainda mastigava a carne em sua boca, parou diante do homem que os observava e agarrou-lhe a garganta não parecia ser tão forte ao ponto de ficar observando-os como estava. Oliver colocou uma das mãos em sua cabeça, e com um pouco de força fez o "corpo dele dobrar" de forma que sua cabeça estava presa entre uma das mesas e sua mão, um pequeno sorriso novamente apareceu, era engraçado a forma como um homem como aquele podia olhar de forma tão ameaçadora a segundos atrás, e agora nem mesmo era capaz de mover o próprio corpo, a outra mão de Oliver estava agarrando um de seus punhos, ele não poderia reagir sem que lhe fosse arrancando o braço.

— Muito bem rapaz, me dê um ótimo motivo para estar nos observando, ou eu arrancarei sua cabeça agora mesmo... Agora me diga seu nome, e o que faz aqui.

Fantasma
NPC
NPC

Mensagens : 132
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Sab 18 Jul 2015 - 18:37

Quando seu olhar se encontrou com o do seu cliente, Rhiannon se dirigiu até ele, conforme se aproximava um desconforto ia surgindo dentro de si, o que não era bom sinal.

— Não é educado fazer as pessoas esperarem sabia? — Disse o imortal de aparência jovem, mas pela sua  forma segura de falar Rhia suspeitava que tivesse algumas centenas de anos.

— Sabia. — Respondeu Rhia indiferente, odiava ser questionada, reprimida ou qualquer outro comportamento relacionado à repreensão, principalmente quando vinha de seres sobrenaturais que achavam serem indestrutíveis.

 O olhar é o sorriso do vampiro denunciavam seu interesse em alguma coisa, mesmo diante a tanta gente e aquela musica alta preenchendo o lugar ele não parecia se prender a estes detalhes humanos.

“ Logo hoje... Vou precisar ser ainda mais cautelosa, devia ter escutado meus instintos e cancelado este encontro.” — Pensou a jovem garota enquanto segurava sua vontade de suspirar pesarosamente.

— No fim das contas... Sou Oliver, é um prazer estar na presença da grande Rhiannon, os rumores sobre você andam se espalhando muito sabia? — Perguntou o imortal enquanto levantava-se para puxar uma cadeira a Rhia.

— Deveria se sentar, talvez beber ou comer alguma coisa? — Quando se aproximou pode sentir o seu odor era adocicado, mas não de uma forma agradável, mas de algo enjoativo e exagerado. 

— Obrigado pela a oferta, mas não obrigada. Não acredite em tudo que escuta por aí em relação a minha pessoa, afinal, sou apenas uma jovem que faz tiragens de cartas, algo que a maioria das pessoas julgam ser apenas uma forma sutil de enganação para conseguir dinheiro fácil, você não crer nisso?

O jovem voltou a se sentar, os dois se olharam, o imortal cortou mais um pedaço de seu prato, para um ser morto vivo, ele parecia ter muito apetite apreciando o seu jantar.

— Podemos fazer o que viemos aqui para fazer? Estou pronta, quando quiser podemos começar. — Disse ela tentando agir com indiferença.

Enquanto seu cliente comia, olhou em volta, percebera que os dois seres sobrenaturais que sentiu ao chegar, haviam saído e não retornaram, aquilo causou um calafrio em sua espinha sem saber o motivo, mas manteve isso apenas para si mesma.

Enquanto aguardava o vampiro apontou para um canto distante, em um balcão e perguntou:

—  Conhece aquele homem? Não sei por que ele nos observa tanto, mas, sabe... Me incomoda quando as pessoas ficam me encarando, eu acho que devo matá-lo de uma vez e podemos conversar num lugar onde ameaças como essa não deem as caras.

Se virando para ver do que se tratava, seus olhos se arregalaram em surpresa quando avistou o Lucian, em um piscar de olhos o vampiro desaparecera da mesa, sua primeira reação foi espanto, o vampiro chamado Oliver imobilizava Lucian com muita facilidade contra o balcão enquanto pressionava o rosto na madeira e segurava seu pulso para trás.

Sem esperar para ver o que aconteceria Rhia foi até eles, para um vampiro ele agia com muita infantilidade, ao se aproximar pegou as palavras do vampiro mesmo sobre a musica que agora estava mais baixa. Todos os olhavam surpresos, mas não faziam nada.

 — Muito bem rapaz, me dê um ótimo motivo para estar nos observando, ou eu arrancarei sua cabeça agora mesmo... Agora me diga seu nome, e o que faz aqui.

Antes que pudesse ter uma resposta, Rhiannon interveio, com sua voz baixa mais firme, alto suficiente apenas para os dois escutarem.

— O nome dele é Lucian, você não achou mesmo que estaria aqui sozinha, ou achou? Ele cuida da minha segurança, como você mesmo disse existem boatos a meu respeito pela cidade e é claro que eu não poderia transitar sem proteção. E outra coisa, estão todos olhando, então espero que seja mais discreto.

A jovem olhou para Lucian, como se estivesse se desculpando por ter mentindo e que ele sustentasse a mentira, Oliver ainda segurava seu braço, as feições de Lucian não parecia de alguém assustado. Mesmo sem entender o que ele fazia ali, ela não tinha direito de saber.

— Poderia fazer a gentileza de soltá-lo? — Falou Rhia enquanto encarava o seu cliente. — Se não fizer nossa consulta termina aqui.

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Sab 18 Jul 2015 - 19:05

Lucian se sentia frustrado ao ter visto como as coisas aconteciam naquela escuridão, como as mortes eram ocultadas e como aqueles seres imortais, seduziam com suas palavras e seus olhares, Ele encarava o homem ao lado de Rhia ele sabia o que ele era.

Em seu pensamento ele queria avançar até aquela mesa, liberta-la de suas garras e estraçalhar aquele morto vivo, sem se preocupar com as pessoas ou o que isso acarretaria, mas não poderia fazer tal ação, como um líder, como alguém que carrega em seus ombros mais que sua vida não poderia se dar a este luxo, mas o seu olhar dizia o contrario;

Este mesmo olhar fora seu erro, o homem captara a intensidade de sua aura, rapidamente avançou contra ele, o segurou pela garganta, ele poderia ter se libertado facilmente mais não o fez, não era momento e nem lugar, rapidamente o pressionou contra o balcão segurando seu braço, uma fúria crescia dentro si, seus olhos ficaram vermelhos, suas garras começaram a crescer quando a voz de Rhia o interrompeu.

Seus olhos pareciam preocupados e suplicantes, como se quisesse que concordasse com o que fosse dito por ela, antes que pudesse ele falar ou atacar ela disse quem era o Lucian, mesmo tentando mostrar calma, ela estava nervosa, disse que ele era seu segurança, de fato ele não acharia nada ruim possuir tal cargo, mas o maior problema é que ela parecia saber o que aquele homem era e isso o deixava ainda mais intrincado.

Antes que ela pudesse ver parte de sua transformação, ele retraiu as presas que começaram a se projetar para fora, seus olhos voltaram ao normal e apenas aguardou, ela pediu que o soltasse, mais Oliver parecia relutante em fazê-lo, mesmo que ele não conseguiria quebrar o braço de Lucian que havia firmado o braço, a ameaça dela fez efeito, seu aperto afrouxou.

A mente de Lucian girava atrás de perguntas, que as respostas só poderiam ser ditas por Rhiannnon, o que esta jovem esconde?

Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Fantasma em Sab 18 Jul 2015 - 19:26


Jaina Menethil

Era mais uma noite fria é nada calma na Grã-Bretanha.  Algumas crianças ainda brincavam na rua, casais se divertiam ao luar, tudo parecia normal. Encostada em uma parede ao lado de uma antiga loja, Jaina observava o movimento enquanto inalava o ar de seu cigarro, pouco a pouco ia liberando a fumaça que se dissipava rapidamente ao ar livre, a cidade e todos que por ali passavam.

“— Como é possível que as pessoas sejam tão simples e de aparência tão agradável possam se transformarem naquelas malditas criaturas...— Pensava perdida em lembranças.

Cansada do longo dia que teve, com suas pesquisas sobre as criaturas da qual perseguia, caminhava em direção ao seu pequeno apartamento,  havia pegado um atalho por um dos vários becos da cidade, uma presença a alertara, seu instinto percebeu a  aproximação de algo ou alguém a suas costas.

Agindo naturalmente, Jaina com sua postura habitual e cabelos soltos, apenas aumentou o ritmo de seus passos, talvez na tentativa de atravessar o beco da maneira mais rápida e normal que pudesse, afinal estava fadigada se tivesse que lutar em tais condições talvez não obtivesse o sucesso esperado.

Vendo o final daquele pequeno espaço de sombras se aproximou da saída daquele lugar, por reflexo se virou para trás rapidamente, sem parar de andar, a poucos metros de distância viu uma sombra... A silhueta de um corpo seus olhos brilharam de uma cor que ela nunca tinha visto.

Seria aquilo um lobo? — Impossível! — Pensava que talvez não conhecesse aquele lugar como deveria. Tantos anos pesquisando apenas sobre licantropia, que esqueceu-se que mais criaturas sobrenaturais pudessem caminhar pela Terra.

O vulto não a seguiu, após duas quadras chegou a seu apartamento, subindo as escadas rapidamente, adentrou e trancou a porta enquanto seu coração tentava se acalmar.

Após alguns segundos decidiu tomar um banho, se despiu por completa e seguiu para o banho, a água quente lavava a fadiga e as dores mais não o cansaço, após o banho se dirigiu para o quarto, e se deixou cair pesadamente na cama, mantendo os olhos abertos, uma tarefa que era um enorme desafio, sem perceber caiu no sono, em seus sonhos aqueles estranhos olhos brilhantes a perseguia.

Fantasma
NPC
NPC

Mensagens : 132
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Sab 18 Jul 2015 - 21:05

A situação se tornava mais incomoda, pois olhares observavam todo o acontecido, a garota que servia no bar comportava-se como se aquela situação fosse comum, Rhianno se sentia aborrecida. Anos sendo cautelosa e atenta a qualquer movimento para passar sempre despercebida o máximo possível e por causa de um vampiro egocêntrico colocou tudo a perder. 

Apesar da ameaça de encerrar a consulta, o vampiro parecia tentado a continuar com seu show, o olhar de Rhiannon se mantinha fixo em Oliver, porém as vezes espreitava pelo canto de olho a expressão de Lucian.

— Acho que seu silencio e comportamento, já resolveu a questão, acabamos aqui a consulta. — Disse desviando o olhar, observando os olhares sobre ela.

Frustrada e desanimada suspirou pesarosamente, dando as costas a Oliver ainda preocupada com Lucian caminhou novamente até a mesa onde estava, enquanto caminhava sem olhar para trás, pensou: “Porque Oliver atacaria Lucian?”

Afinal não se daria ao trabalho de atacar um humano fraco apenas por encará-lo, os vampiros tinham uma necessidade de demonstrar poder e território, para isso ocorrer só existia uma resposta.

Rhiannon estava com medo da resposta que circulava por sua mente, balançou a cabeça para afastar o pensamento, mas o gesto apenas trouxe a expressão calma e firme do seu “falso segurança”, pegou suas coisas depositou algumas notas sobre a mesa do restaurante e caminhou ciente dos olhares que causava um enorme desconforto.

Ela não olhou para os dois, esta era a única maneira de encerrar tudo aquilo, por mais louco que Oliver pudesse ser ele não mataria alguém ali, eram muitos para dar cabo, quem dirá hipnotizar tantos, apenas isso lhe deu um pouco de segurança a respeito de Lucian, ela também estava fazendo uma aposta, de que ele o largaria sabendo que se algo acontecesse a ele qualquer chance dele saber o que quisesse com aquela consulta estaria perdida.

Assim que atravessou para fora o frio tocou sua pele, um arrepiou passou por seu corpo a fazendo estremecer, levou as mãos ao corpo instintivamente para se aquecer, olhando as ruas, ajeitou a mochila nas costas, e colocou as mãos nos bolso na tentativa de aquecê-las, respirou fundo e começou a caminhar até a pensão.

As ruas eram iluminada pelos postes e faróis de alguns carros, poucas pessoas  estavam passeando de bicicleta ou caminhando enquanto ouviam musica, apesar do pouco movimento não era muito tarde seguindo o caminho mais longo  até a pensão, deixou os pensamentos aflorarem em sua mente.

Isso a vez perceber que não sabia nada ou quase nada de Lucian, mesmo não sentindo nenhuma ameaça em sua presença, talvez ele não fosse alguém que ela devesse confiar, diante do que ocorrerá no restaurante, se perguntava se ele poderia ser um vampiro... Mas isso não poderia ser afinal ele caminhava a luz do dia, ela sabia passou a manha inteira com ele.

Sem um rumo certo ou resposta concreta, cogitou tirar as cartas para si mesma, mas esta ideia logo desvaneceu de sua mente, ela sabia que se tratando de seu futuro ou acontecimentos poderia não ser precisa, triste por talvez ter que deixar a pensão olhou o céu escuro, quando ouviu um alguns passos atrás de si.

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Sab 18 Jul 2015 - 21:30

Enquanto Rhiannon deixava o local, Oliver xingou baixou frustrado por não ter suas perguntas respondidas, soltou o braço de Lucian ajeitou seu palito e se virou para ele.

― Você teve sorte... Não é o momento ou lugar, mas se cruzar meu caminho novamente estará se considere um homem morto!

Falou Oliver caminhando até sua mesa, depositando algumas notas e saindo, a música voltou a tocar e todos voltaram as suas atenções para o que estavam fazendo antes daquele atrito começar como se aquilo fosse a coisa mais normal por ali. Lucian se endireitou e mexeu o braço que estralou enquanto o movimentava.

Seus olhos acompanharam a saída do vampiro, se virou para a mulher no bar, ela não parecia assustada, se viu alguma coisa não deu nenhum sinal, Lucian de um sorriso sem jeito para ela como se pedisse desculpa pela confusão e saiu apressado porta a fora.

Seus pensamentos se perguntavam o que a Rhiannon estaria fazendo com aquele vampiro, ela era humana, por que estaria ali com aquele sem alma, mas as suas teorias não eram boas... Ele precisava encontra-la falar com ela, ver se o havia visto quase se transformar, com tanta confusão ele esperava que ela não tivesse visto.

O ar estava frio, as ruas iluminadas traziam um brilho amarelado pelos caminhos, Lucian se concentrou no aroma de Rhiannon, a noite seu poder era mais forte, a lua não estava cheia no céu mais isso não impedia Lucian em se concentrar em uma só pessoa.

Correu pelas ruas, a sua procura ele precisava falar com ela esclarecer tudo, mas o medo das respostas o fazia cogitar o que faria se as coisas não fossem a que ele esperava, continuou  correndo, ao longe viu ela se aproximando da pensão estava em uma praça caminhando, parou de correr e começou a andar, as nuvens cobriam a pouca luz de uma lua minguante, a pensão ficava um pouco afastado do centro da cidade até mesmo as luzes não chegavam muito bem até ao local. A poucos metros Lucian chamou:

―Rhiannon... Podemos  conversar?

Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Sab 18 Jul 2015 - 21:59

Os passos se aproximavam lentamente, Rhiannon percebeu este barulho e logo se colocou em alerta, sabia que poderia ser atacada a qualquer momento de forma tão rápida e silenciosa que ninguém sequer veria alguma coisa, seus passos se aceleravam, ao longe avistou a pensão. Sentiu o vento gélido tocar seu rosto como um chicote, se antes estava triste, agora estava apreensiva, na rua pouco iluminada o seu extinto a alertava sobre os passos que se tornaram mais próximos, uma voz chamou seu nome, reconhecendo-a parou e se virou e os seus olhos cruzaram.
O medo foi substituído por ansiedade porque a voz pertencia a Lucian e não sabia como se comportar depois do que havia ocorrido no bar. Ele poderia ser perigoso, talvez mais perigoso que o vampiro que estava com ela, mas por alguma razão Rhiannon não acreditava nisso.
Ela fez um gesto afirmativo com a cabeça enquanto ele se aproximava.

Lucian parou muito próximo e isso a surpreendeu um pouco, o calor de seu corpo a deixava inquieta, seu rosto corou no mesmo instante ao pensar no quão quente poderia ficar apenas por estar perto dele. 

― Já aviso que não sou uma traficante ou algo do tipo – disse sorrindo sem jeito e desviando os olhos.

As pessoas caminhavam longe de onde eles estavam, poucas luzes iluminavam as ruas, a noite cobria grande parte do caminho, a brisa soprou algumas árvores perto do parque, Lucian tinha uma expressão seria, mesmo ele não tento feito nada de mal antes, porque ele faria isso agora... não tinha nenhum motivo aparente, ou ela apenas não notara?

Seus olhos se focavam nos olhos de Rhiannon como se tivesse medo que algo lhe escapasse se apenas piscasse, a aura dele oscilava agora não era apenas brilhante estava  mais intensa, e feroz, isso poderia significar um perigo irremediável, ele se aproximou seu hálito era quente e refrescante ao mesmo tempo, poucos centímetros os separavam ela podia ouvir em alto e bom som as batidas de seu coração;

― Deseja conversar onde? Aqui fora ou na pensão.


Última edição por Rhiannon Hefaidd em Sab 18 Jul 2015 - 23:15, editado 1 vez(es)

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Sab 18 Jul 2015 - 22:04

A voz de Rhiannon parecia preocupada é Lucian percebeu isso mais nada falou, caminhou em sua direção, o corpo dela emitia uma energia terna e tranquilizadora, seu rosto se avermelhou com a aproximação repentina. Ela tentou brincar fazendo piadas, mas Lucian não sorriu a situação era seria é o que fosse ocorrer dali para frente poderia não ter mais volta.

Ele usava uma camiseta cinza, uma causa jeans preta, botas, sobre sua camisa usava uma jaqueta de couro também preta, sua expressão era dura e contida como se uma fera estivesse prestes a se libertar, os olhos dela se desviaram dos deles como se a intensidade a ferisse, mas ele sequer piscou, mantinha firme a visão ampla daquele jovem diante de si.

Ela não sabia como reagir, estava diferente da manhã que passaram juntos até mesmo ele por um breve momento se esquecerá das obrigações e tarefas que tinha a desempenhar, vê-la com aquele vampiro gerou mil possibilidades na mente de Lucian e ele precisava saber a verdade, pois nenhuma delas era coisa boa.

 ― Acredito que não seja sábio ficarmos aqui parados, e a pensão não é o lugar mais seguro. Vamos caminhar um pouco? — Falou enquanto se colocava ao lado dela.

Esperava que ela o acompanhasse.

Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Sab 18 Jul 2015 - 22:30

Tudo parecia tão estranho, o clima estava pesado e intenso, Rhiannon observou a expressão de Lucian e isso não acalmou seu coração, enquanto ele se colocava ao seu lado e a olhava de forma profunda disse:

― Acredito que não seja sábio ficarmos aqui parados, é a pensão não e o lugar mais seguro. Vamos caminhar um pouco?

As palavras dele não tornava o clima mais tranquilo, a seriedade dele a intimidava. A jovem se perguntou aonde  havia parado aquele rapaz descontraído daquela manhã.

― Tudo bem. ―  Respondeu enquanto soltava os longos cabelos escuros, formando uma cortina sobre seu rosto, não queria que ele visse suas expressões no decorrer da conversa.

Lentamente começaram a caminhar, apesar de ter dormido pouco na noite anterior sentia-se agitada e disposta. Rhiannon não sabia  até onde poderia contar sobre si mesma, a única certeza que tinha é que aquele homem queria respostas e seria perigoso se não as desse, mas isso apenas se as perguntas fossem feitas.

Um silêncio se seguiu,  cada atitude dele comprovava a verdade que ela estava disposta a ignorar, ele era um ser sobrenatural, se não fosse qual outro motivo o faria ficar tão sério? Afinal, não poderia ser ciúmes, não tinham um relacionamento, se conheciam pouco menos de um dia. Talvez ele fosse um dos caras bons que se preocupavam com a segurança dos humanos ou já soubesse algo sobre ela, não descartava a hipótese dele ser até um espião do seu pai, afinal fazia um bom tempo que não voltava para seu lar. 

Tinha todos os motivos para voltar à pensão e se trancar no seu pequeno quarto, mas algo a fazia ficar ali. Ela não se atrevia a olha-lo diretamente, seus olhos se fincavam no chão como se o asfalto e a calçada de pedra fosse algo bastante interessante, mas entre as frestas do seu cabelo por vezes o olhava de canto, podia ver os reflexos da luz que ele emanava ultrapassa-las. 
 
Aquele silêncio  era consumidor o que deixava a jovem mais ansiosa ao ponto de perguntar  se ele seria alguma espécie de anjo, o que sem querer a fez sorrir apenas por pensar tais coisas, porém distrair-se não a salvava do que estava por vim, a cada passo mais silencio se ouvia as buzinas dos carros ficavam para trás, as conversas de pessoas na rua já não se ouvia mais, apenas alguns postes distantes um dos outros produzia a pouca luz que por vezes piscava assustadoramente, ela suspirou e decidiu tomar a iniciativa.

― Quem começa? Você queria conversar mas este silêncio é constrangedor... – Falou enquanto olhava para frente e protegia suas mãos as colocando bolsos de sua jaqueta.

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Sab 18 Jul 2015 - 22:53

Os dois caminhavam em silêncio, parecia que cada um analisava o outro, buscando um indicio, uma fala, apenas uma abertura para poder começar mais nada se ouviu após alguns metros sem nenhum som além do vento nas copas das árvores, Rhiannon quebrou aquilo se pronunciando, perguntando quem começaria.

Lucian fechou o punho se sentindo um covarde, ainda caminhando resolveu que era hora de falar aquilo que o atormentava, mas ela estaria disposta a dar o que ele desejava? A verdade! Estaria prestes a descobrir isso.

― Eu começo... Quero saber o que foi aquilo que aconteceu no restaurante? Quem era aquele sujeito. — Falou Lucian agora desviando os olhos da jovem, mais encarando a escuridão da noite.

Ele não parou por aí, antes da resposta ele emendou dizendo:

― Você tem ciência de quem, ou melhor do que era aquele que estava com você... Entende  o risco que se encontrava o que deu em sua cabeça!

Os passos eram firmes de Lucian, ele não ousava olha-la, pois poderia fraquejar é ele não poderia se dar a este luxo,  os seus contava com ele, mas Rhiannon de alguma forma parecia envolve-lo, de uma forma que o  desarmava sempre que seus olhos se cruzavam.

― Além de vê-la com ele você mentiu porque fez isso? O que mais andou escondendo?

Se ela mentisse Lucian saberia era difícil para ele ser enganado pelas pessoas, mas o que ela escolheria dizer...

Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Sab 18 Jul 2015 - 23:13

Lucian parecia preocupado e ansioso e isso era notável em sua postura e expressão, uma tensão incrível emanava de seu corpo, após a primeira  pergunta a segunda saiu quase em seguida sem sequer da tempo de Rhiannon  pensar em responder, a sua voz continha um tom de recriminação, como se estivesse desapontado, sua respiração estava pesada como se estivesse tentando se controlar.

Decidiu deixar ele falar tudo e depois falaria a versão do ponto de vista dela, sua memoria processava cada palavra com atenção  para não esquecer nenhuma ao explicar o seu lado daquela historia.

As palavras duras como gelo de Lucian acertaram o coração de Rhiannon, ela entendia mais se sentia magoada pelas palavras finais do jovem ao seu lado que parecia confuso e agitado, Rhiannon parou e se colocou na frente dele o olhando pela primeira vez desde que começaram a caminhar, seu olhar firmou o dele.

― Lucian. — Falou, olhou por sobre o ombro dele a escuridão que parecia engolir tudo, fechou o olhos e suspirou ao abri-los novamente estavam firmes e determinados.

― Sobre uma de suas perguntas, sim eu estava ciente “o que” aquele é e do perigo que corri, sobre minha mentira o fiz para protege-lo, se ainda não conseguiu notar ele iria quebrar seu braço e sabe-se lá mais o que, mas agora pensando calmamente depois do ocorrido, não teria sentido ele ter lhe atacado se você não o ameaçasse de alguma forma, isso revela que você é um “sobrenatural”, o que de fato é você?

A lua surgiu sobre algumas nuvens, mas nem mesmo a luz prateada era capaz de proporcionar muita luz, mas ela parecia banhar o corpo de Lucian de uma forma mística, a rua estava deserta. Seu olhar era distante parecia pensativo, seu silêncio demonstrou que continuava a escutar então continuou.

― Eu sou uma taróloga e outros da espécie dele estão me procurando recentemente com frequência, seja por diversão em saber sobre o futuro, ou porque querem entender o passado, pois não se lembram de sua vida humana com clareza antes da transformação, mas sinto que estão preocupados com alguma coisa, algo esta se agitando, aparentemente aqui já não é mais um lugar seguro.


Rhiannon cruzou os braços e voltou a caminhar em direção à pensão, ela não iria força-lo a dizer nada, caso confiasse nela falaria de livre e espontânea vontade. Ao passar por ele, olhou nos olhos e seguiu em frente.

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Dom 19 Jul 2015 - 11:07

Enquanto as palavras eram processadas por Lucian, Rhiannon caminhava em direção a pensão passando por ele que havia ficado imóvel, alguns metros de distâncias a lua ia se escondendo lentamente por entre as nuvens quando ele chamou:

― Rhiannon, espere... ― Se virou para ela e caminhou em sua direção.

Não parecia mais tão contido ou intenso mais a preocupação pareceu crescer em seu interior, parou próximo a ela.
― Como você sabe disso... Como você pode ser uma humana e estar entre os sobrenaturais? Não sabe que isso e perigoso.

As palavras pareciam mais de cansaço do que uma repreensão da parte dele, a escuridão parecia apenas aumentar como se estivesse pouco a pouco engolindo tudo a sua volta.
― Não sei o quanto sabe mais de fato as coisas logo começarão a se complicar aqui não será nada seguro, siga meu conselho e parta! Mais para sua segurança não se envolva com os vampiros.

As palavras morreram com certo desprezo em sua voz, ele sabia o que aquele homem era, seu cheiro o enjoava... Aquele que apenas os vampiros possuem um cheiro doce e luxurioso, como um hormônio que enfeitiça os mortais.

― Sobre eu ser um sobrenatural, bem vamos dizer que você está certa, mas para sua segurança e melhor que não saiba mais que isso... — Falou se interrompendo de falar sentindo alguma coisa.

Olhou para os lados e apenas esperou, alguma coisa estava errada, se virou para Rhiannon e disse:
― Vá agora! Retorne para a pensão o mais rápido que puder.


Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Seg 20 Jul 2015 - 21:49

Rhiannon estava decidida a não parar ou olhar para trás por mais que desejasse ver a expressão de Lucian, continuou caminhando até que ele a chamou.

Diminuindo seus passos permitiu que fosse alcançada por Lucian , a lua havia se escondido, a escuridão crescia e com ela um frio tenebroso,  ao alcança-la ele parou, não continuou a caminhar quando seus olhos se cruzaram.

A expressão de Lucian por um momento pareceu mais calma, porém ainda preocupada, diferente das outras perguntas que fizera, suas palavras saíram mais suaves, dóceis se comparado com a amargura e fúria que ele tentava conter-se.

Rhiannon prestou atenção ao que tinha a dizer, queria ficar de bem com ele, acalma-lo. Afinal, ela sabia se virar ou pelo menos assim pensava.

Abriu a boca para lhe responder, mas reparou que ele não tinha mais a atenção voltada para ela, seguiu seu olhar, neste momento sentiu uma forte dor de cabeça que a fez levar as mãos as têmporas, involuntariamente soltou um baixo gemido, algo estava errado, ela sentia-se fria e sem força, já presenciara aquilo antes e por tal motivo sabia que uma coisa muito ruim estava para acontecer. 

Com a preocupação estampada em seu olhar e sentindo o corpo pesado, ela olhou novamente para Lucian quando ele a mandou ir para a pensão e com razão, pois o que se aproximava era muito forte, sabia disso devido a intensidade de seu mal estar.
Rhiannon respirava com dificuldades, parecia que iria desmaiar ela precisaria ser rápida antes que isso acontecesse.
― Tentarei ― respondeu ela com a voz falhando e preparando-se para procurar algo em sua bolsa enquanto sua visão começava a apagar.


Última edição por Rhiannon Hefaidd em Seg 20 Jul 2015 - 23:56, editado 1 vez(es)

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Seg 20 Jul 2015 - 22:35

A lua começava a aparecer novamente, mesmo sobre a luz da lua pouco se podia ver, mas Lucian sentia que alguém estava se aproximando,  ao se virar para ver Rhiannon ela ainda estava no mesmo lugar, suas palavras eram baixas quase como um sussurro, algo estava errado com ela, não poderia dizer ao certo o que era mais  aquilo não era bom sinal.

Os olhos de Lucian brilharam quem quer que fosse ele não poderia fugir não agora, muito menos com Rhiannon naquele estado, ele recuou até ela se tornando um escudo, as garras cresceram em suas mãos, seus dentes se tornaram presas, ele aguardava aquele que se aproximava.

As luzes dos postes que já eram fracas eram estouradas assim que os passos se aproximavam restando dois postes com luz os passos cessaram nas sombras apenas os olhos se podiam ver, um brilho vermelho os dentes também se revelou em um sorriso.

— Ora, ora, ora o que temos aqui! Não acredito, deve ser meu dia de sorte... Quero dizer noite.— Caminhou para a luz revelando sua forma.

—  Maldição... — Praguejou quase em silêncio.

De relance olhou para Rhia que estava caída, abrindo os braços estava preparado para atacar, encarando quem estava diante deles é falou:

— Rhiannon... Me escuta com atenção. Quero que assim que puder corra o mais rápido que conseguir para qualquer lugar longe daqui, quem está diante de nós não tem planos de nos deixar ir, se você ficar não sei se conseguirei protegê-la, não quero que se machuque, está me ouvindo?

Ele não se virou para ver se ela entendia o que ele estava falando, mais ele esperava que sim ou talvez nenhum dos dois saíram com vida dali, libertando um uivo que mais parecia um rugido ele avançou contra a ameaça.

Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Seg 20 Jul 2015 - 22:52

Era como ter os pés presos em areia movediça enquanto a cabeça doía,  sem forças caiu de joelhos, pensou que já havia sentido e se acostumado com aquela dor, mas aquela era muito mais forte, a vista de Rhiannon estava embaçada, ela apenas via as luzes estourando e se apagando em pequenos estouros.
Não viu Lucian se aproximar, estava inquieta tudo em seu corpo vibrava, seus braços pareciam perder as forças como se os comandos fossem difícil de se realizar assim como suas pernas que não se movia,  com uma mão na cabeça levou a outra mão a bolsa que ela colocara sobre  o chão frio quando ajoelhou-se.

Após alguns segundos a procura do que precisava encontrou um pequeno frasco em sua bolsa, o tirou com dificuldade, ela sentia que a qualquer momento poderia perder a consciência, a mistura era uma dose concentrada de “spirae ulmaria” e outras plantas. Tomou em apenas um gole derrubando o frasco enquanto engasgava e tossia, era algo que aprendera em suas andanças pelo mundo um anestésico de absorção rápida, demoraria apenas alguns minutos para o seu efeito, logo suas terminações nervosas se sensibilizariam por completo.

Tentou se colocar de pé o remédio havia diminuído a dor de sua cabeça, as forças pareciam retornar lentamente, mas suas pernas pareciam concreto, a visão ainda não estava nítida, mais uma vez ouviu Lucian, ele havia a mandado correr novamente para o bem dos dois, sua voz era mais fera do que humana, o que iria fazer?

A pensão não estava muito longe se estivesse bem chegaria rapidamente, mas como se encontrava era um caminho muito longo para chegar, mas era necessário tal esforço, pois uma vez lá se fosse preciso  ela poderia voltar para ajudar em seu quarto o que não faltava era plantas e medicamentos capaz de matar um sobrenatural, a visão de Rhiannon só podia ver uma aura violeta com vermelho grotesca que lhe causou um arrepio ela sabia que se ficasse seria apenas um peso para Lucian uma preocupação a mais.

― Está certo. ― Falou ainda zonza atrás de Lucian, não sabia se ele tinha ouvido, pois  já avançara contra  o dono daquela aura, sem perder tempo se colocou a caminhar lentamente e pouco a pouco a aumentar o ritmo, em seus pensamentos apenas acreditava que ele ficaria bem.

Por mais que tentasse não conseguia correr, o máximo andar em um ritmo um pouco rápido, seus pés pareciam chumbo, sua vista a traia por vezes se escurecendo por isso caminhava próxima as paredes das residências apoiando-se nelas em determinados momentos, ao longe apenas ataques se podia ouvir, Rhiannon não ousava olhar para trás sabia que se o fizesse não conseguiria se distanciar.

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Seg 20 Jul 2015 - 23:04

Lucian avançou contra a ameaça, a criatura era forte, desviava de suas garras com destreza, até certa facilidade, alguns poucos golpes passam perto o bastante de causar algum dano, mas todo golpe empregado era mortal, visando sempre o pescoço e o peito. A luz do poste não era suficiente para ver o que ocorria olhos humanos jamais poderiam entender o que estava ocorrendo.

Um vento frio cortou a noite, as copas de algumas árvores chiaram como se estivessem chorando preocupadas com o embate que ocorria, com um punho fechado o oponente de Lucian o arremessou longe, o mesmo levantará rapidamente...

— Devo dizer que você é bastante habilidoso... Desviou de quase todos meu contragolpes, outro teria perdido um braço ou uma perna facilmente, somos inimigos naturais... Creio que saiba reconhecer quem é mais forte. — Nas sombras da noite o sorriso divertido se espalhava por sua face enquanto sequer piscava encarando Lucian.

“— Droga... este será difícil! Mesmo que demore preciso ganhar tempo para que Rhiannon consiga escapar”.— Ousou olhar para trás um milésimo de segundo.

— Está preocupado com aquela garota? Não fique ela será meu próximo brinquedo assim que me cansar de você, por isso cachorrinho entretenha-me o máximo que conseguir, ou serei obrigado a ir atrás dela agora mesmo.

O olhar de Lucian não parecia mais humano, a fera dentro dele parecia emergir a cada momento, era guiado apenas por seus instintos, abriu as garras e afastou as pernas, seus olhos brilharam intensamente e libertou seu uivo mais uma vez, o som era estridente e ecoou por todo lugar as pessoas logo veriam isso mais ele não se importava.

Avançou contra a criatura em um movimento agressivo rolaram pela beirada de uma ponte que dava para algumas casas abandonadas, os pensamentos de Lucian era mais animalesco do que qualquer outra coisa, os pensamentos se apagaram naquele instante apenas acabar com aquele diante ela importava.

Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Seg 20 Jul 2015 - 23:38

Conforme ia se distanciando se sentia melhor, com o vento frio chicoteando sua face podia ver a pensão, não pensou que demoraria tanto para chegar lá, seus pulmões queimavam e sua garganta estava seca, já estava tarde todos em seus aposentos; cambaleante entrou na pensão e subiu para seu quarto revirou suas coisas até achar as chaves, suas mãos tremiam, ao tentar encaixar a entrada não conseguia e ao ouvir ao longe o uivo a assustou e deixou as chaves cair.

Tateou o chão a procura da chave, após alguns segundos a encontrou apressada Rhiannon conseguiu abrir a porta.

―Isso! — Falou enquanto abria a porta apressadamente, entrou e deixou a porta entre aberta.

Tinha noção que para um sobrenatural ela era fraca e lenta, uma presa fácil. Então não poderia contar com ataques surpresas e caso fosse pega poderia morrer no mesmo instante. 

Algum tempo passou e Lucian não chegava a preocupação começava a apertar o coração de Rhiannon, ela se sentia culpada por tê-lo deixado para trás, aquele uivo veio em sua mente.
No quarto escuro Rhiannon encontrava-se próxima a janela observando a rua deserta na esperança de algum sinal, de braços cruzados ela traçava em sua mente algum plano caso nada  viesse a acontecer nos próximos minutos. 

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Ter 21 Jul 2015 - 0:09

Mergulhando com a criatura Lucian se distanciava das ruas indo para uma área mais afastada, um local pobre e abandonada da cidade, os cortes que sofria era rapidamente curados, aquele inimigo parecia demais para ele, a força do Alfa se encontrava em seu bando, mas sozinho ali ele estava em grandes problemas.

O inimigo se ergueu do chão desapontando e ao mesmo tempo nervoso, sacudia o pó de sua roupa com a mão, Lucian em sua forma meio homem meio animal, não se importava com coisas como sua aparência ou roupa, a sua calça estava rasgada e sua camiseta também.

— Francamente... Você me desaponta desta maneira, ouvi boatos que os lobisomens eram uma das poucas criaturas capaz de rivalizar com os vampiros vim comprovar isso, mas o que encontro e apenas um Alfa que parece um cachorro vira- lata.  — Falou o oponente das sombras de algumas casas antigas e velhas.

Lucian fechou os punhos estralando alto, os abriu com garras a mostra, ele rosnava, suas pressas eram afiadas e seus olhos brilhavam perigosamente, seu corpo começou a se contorcer seu oponente não parecia apressado sua, forma estava mudando... Lucian estava sendo consumido pela fera, pelos começaram a surgir por todo seu corpo.

Um sorriso surgiu na fase do adversário de Lucian. — Parece que agora as coisas vão começar a esquentar, soube que as garras de um lobisomem e capaz de cortar facilmente a pele de um vampiro será que isso e verdade? Você vai ter que fazer valer apena, pois me afastar não vai resolver.

Avançou contra a criatura, Lucian estava mais rápido e forte, na forma animalesca todos os seus sentidos estavam mais aguçado, esquivava de vários golpes e se distanciava ao mesmo tempo, usava as patas para acertá-lo mais nada resolvia, um segundo de distração Lucian foi acertado na face sendo arremessado contra uma parede de tijolos que caiu sobre ele, poeira dominou aquela área enquanto o vento espalhava aquele cheiro velho de pó.

Após alguns segundos Lucian se ergueu novamente, tirando poeira do focinho, farejou o ar e uivou fortemente, parecia um poderoso estrondo como um trovão, tudo se calou no mesmo instante avançou levantando terra de suas patas traseiras com uma mordida pegou o ombro do seu inimigo e o arremessou sobre o telhado, em seguida ele saiu pela porta da frente quebrando a porta e vendo o estrago de sua roupa enquanto sangue escorria de seu ombro.

— Parece que lhe deixei nervosinho... Mais saiba que eu também fiquei.

Neste momento outra sombra surgiu ao longe com olhos amarelos, acertando em cheio as costas antes dele falar qualquer coisa atravessando um casebre de madeira.

Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Ter 21 Jul 2015 - 23:37


Conforme o tempo passava e Lucian não regressava, Rhiannon se sentiu no dever de procura-lo, mesmo que isso significasse colocar sua segurança em risco, como havia tomado um de seus remédios poderia ter uma chance de passar despercebida entre os outros sobrenaturais.  

Caso ainda estivessem lutando ela não poderia chegar sem algo protegê-la, porque uma vez que fosse notada tudo estaria perdido, foi quando se lembrou de uma poção simples mais eficaz se fosse utilizada em quantidade generosa, a tinha guardada em frasco comprido que cabia na palma de sua mão, se fosse surpreendida por um algum vampiro poderia usa-la. Caminhou apressada até um pequeno armário que ficava suspenso, ali era guardado seus ingredientes, misturas e utensílios. Logo avistou o que procurava, ficou na ponta dos pés para pegá-lo, após fazer isso o colocou no bolso largo de sua jaqueta, sorriu ao perceber que ele cabia sem problemas fazendo apenas um discreto volume.

Rhiannon pegou suas chaves e saiu do quarto em direção à rua, fechou os olhos quando o ar gélido tocou sua face repentinamente, havia esfriado consideravelmente para sua surpresa. Olhando a sua volta enquanto caminhava com as mãos no bolso tanto para aquecer suas mãos como para se certificar de que a porção estava segura notou que estava muito silencioso, quieto até demais, não parecia que havia acabado de acontecer uma briga ali a não ser pelas lâmpadas quebradas, reparou nos sinais que indicavam que eles haviam levado o confronto para outro lugar, atenta a qualquer ruído a jovem correu chegando até a ponte, estava preocupada com Lucian, olhou para o chão e viu marcas de confrontos, garras profundas e terra remexida, observou que naquela direção havia casas abandonada, alguns poucos raios de luz mostravam as sombras das estruturas, olhando não podia se ver, mas os estrondos estavam altos e poeira subia mesmo daquela distância.

Observou por algum tempo, o conflito parecia intenso e então percebeu que estava hesitando, a luta parecia tão agressiva e poderosa, algo que não havia presenciado antes mesmo após tanto tempo interagindo com sobrenaturais, sentia sua pernas trêmulas, não por causa de um vampiro mas era o medo e o instinto de sobrevivência que a aconselhavam a fazer o que Lucian tinha pedido.  

Correu em direção das casas, mesmo sendo perigoso, Rhiannon não conseguiria ficar esperando pelo sucesso dele, pois ele talvez não voltaria e este pensamento a devastou, antes de chegar próximo ao confronto de verdade escutou colisões e coisas se quebrando, em seguida um uivo cortou  a noite, era alto o suficiente para causar arrepios e paralisar seu corpo.

Olhou para suas mãos e percebeu que estavam tremendo se forçou  a se mover, assim que viu alguma coisa sendo arremessada sobre o teto de umas das casas, se escondeu atrás de outra casa quando escutou um forte barulho, sua intuição gritava em seu interior para dar meia volta e fugir. Seu mal estar voltou, sua cabeça sentia as pontas, assim como suas pernas que fraquejavam, era mais um alerta para se manter afastada.

Colocou a mão no bolso e retirou a o frasco em forma de cilindro, se forçou a andar mais alguns metros se escondendo nas sombras, agora de um ângulo que dava para ver que aquele que enfrentava Lucian falava algo quando fora arremessado por outro ser contra a parede na escuridão da noite onde a lua era ocultada pelas nuvens, apenas os olhos amarelos se mostravam daquele novo indivíduo, seria ele um aliado? 

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Qua 22 Jul 2015 - 12:42

Aquele que acertara o inimigo de Lucian se aproximou dele passos firmes, os dois se olharam é farejavam como se estivessem se avaliando, no mesmo momento o vampiro saiu dos escombros jogando para o lado, tijolos e blocos de concreto como se não fosse nada para o lado.  

― Já chega disso, minha tarefa era apenas observar mais agora acho que acabarei com você, um ou dois não faz diferença alguma para mim! Eu Durval Frost acabarei com vocês.  ― Falou o vampiro com seus olhos brilhando como duas pedras de rubi.

Avançado contra os dois, enquanto isso Lucian observou que aquele que chegara era outro lobisomem, ele estava na sua forma semi-transformada, tinha os olhos amarelos, presas e garras a mostra, mas a forma ainda era de humano.

Os dois pareciam se comunicar sem falarem, seguindo cada um para lados opostos, se distanciaram, o vampiro sorriu olhando os dois, ele parecia esperar o ataque, os dois avançaram ao mesmo tempo, enquanto Lucian usava os dentes, o outro usava as garras, o vampiro no começo estava desviando de todos os golpes.

Mais parecia que a cada desvio os golpes ficavam mais rápido, alguns golpes do novo lobisomem começavam a acertar Durval mesmo que superficial rasgando sua roupa, uma mordida de Lucian pegou o braço esquerdo dele, fazendo jorrar sangue.

― Malditos vira-latas! — Gritou o vampiro.

Lucian uivou mais uma vez é seus olhos brilharam, os dois avançaram ao mesmo tempo, o lobisomem de olhos amarelos acertou as pernas do vampiro que cambaleou para trás, Lucian aproveitou é enfiou suas presas no ombro de Durval que gritou, ele socava e puxava  com a outra mão mais Lucian não largava o outro se distanciou.

Por um segundo Lucian parecia esta sozinho e que o outro havia fugido, O vampiro abraçou Lucian com sua forma animal, e sorriu.

― Irei quebrar todos seus ossos seu maldito! — Falou apertando o corpo de Lucian.

Mesmo com todo tamanho a pressão começava a fazer seus dentes ranger na pele do vampiro que se afrouxou, quando ele ia acabar com ele o outro lobisomem saltou nas costas do vampiro e puxou sua cabeça com toda sua força arrancando a mesma em um movimento caindo rolando de olhos apertos, como se diziam “como fui perder deste jeito”.

Lucian tentou se por de pé mais não conseguiu caiu de lado, e seu corpo foi diminuindo enquanto voltava a se tornar apenas um homem completamente nu, o outro se aproximou dele, voltando também a forma humana, ele colocou Lucian no colo.

― Lucian! Acorde... Não feche os olhos não o perdoarei se você morrer aqui maldito!


Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Rhiannon Hefaidd em Qua 22 Jul 2015 - 13:50

― Olhos amarelos... Olhos amarelos ... – Sussurrava Rhiannon enquanto tentava lembra-se que criatura era aquela.

― Poderia ser... um lobo, ou melhor lobisomem? – Questionou-se.

Na noite escura eles saíram do campo de visão de Rhiannon, o que a fez ser guiada apenas pelos sons, algumas palavras e grunhidos, um medo crescente a invadia, caso fosse encontrada ali poderia ser seu fim, mas para Lucian também e isso a pressionou a ficar.

As palavras que se fizeram ser ouvidas pertenciam ao vampiro que aparecera diante dela e Lucian, pelo tom da voz parecia capaz de fazer qualquer coisa, isso a assustou quando ele ameaçou seus adversários.

― Durval Frost... – Rhiannon repetiu o nome para memoriza-lo.

Ouviu chama-los de vira-latas, então ela estava certa era um lobisomem o que chegara depois e pelo visto eles estavam levando a melhor, nem por isso acalmou-se, ainda não vira Lucian e um mau pressentimento tomava conta de si.

Esforçou-se a se concentrar nos sons, até que ouviu estalos, como se ossos estivessem sendo quebrados e um pesaroso choramingo, sobressaltada Rhiannon estava decidida ir ao encontro deles, mas viu uma cabeça rolar até parar em frente dela, era rosto de Durval com uma expressão incrédula.

Se assustou ao ver aquela cabeça, mas depois suspirou aliviada, saiu do seu esconderijo olhando em volta, até que avistou em meio a escuridão uma pessoa ajoelha e outra caída. Ela correu até eles e ajoelhou-se ao ver Lucian caído, colocou a poção no chão e se concentrou em controlar o desespero enquanto analisava a situação, precisava ser rápida, pois o estado de Lucian não parecia nada bom, ignorando aquele que estava ao seu lado, tirou sua jaqueta e cobriu as partes inferiores dele.

Ao tocar seu corpo percebeu o quão quente estava, o outro homem apenas observava perplexo, possivelmente se perguntando quem poderia ser aquela jovem, mas talvez pela preocupação em seu rosto ele tenha visto que ela o conhecia e se preocupada com ele. 

Colocou as mãos sobre o peito nu de Lucian e sentiu sob elas o coração acelerado, começou a toca-lo com as pontas dos dedos em busca de fraturas, encontrou algumas costelas quebradas, contudo o mais impressionante era que elas estavam se curando sozinhas. Rhiannon segurou a mão de Lucian quando ele abriu os olhos.

― Me desculpe... é tudo por minha culpa, mas isso vai doer... – disse a jovem.

Apesar de estar se curando se não fosse rápido os ossos se juntariam de forma errada e teriam que ser quebrados novamente, ele não falava nada nem sangue escorria ou tossia, com movimentos rápidos colocou os ossos no lugar, ele gritou ao sentir o choque do osso que estava se curando.

Aquilo era tudo que ela poderia fazer por ele no momento, apesar de não parecer ele dava sinais de estar bem, mas ela só teria certeza quando ele acordasse.

― Desculpe... Me chamo Rhiannon, pessoas de sua espécie se curam rápido não é mesmo? Não podemos ficar mais tempo aqui provavelmente outros logo virão, precisamos nos livrar daquele corpo. — Apontou para o corpo sem cabeça do vampiro.
O outro homem a encarava surpreso e ao mesmo tempo receoso, não falou nenhuma palavra enquanto Rhiannon tentava ajudar Lucian.

― Estamos em uma pensão não muito longe daqui, poderia carrega-lo após dar um sumiço neste corpo, se ficar aqui muitas perguntas começaram a ser feitas.

As mãos de Rhiannon estava tremendo, agradeceu aos deuses silenciosamente por ter conseguido fazer o que pode sem travar e nem que sua voz a fizesse parecer uma idiota.

Rhiannon Hefaidd
Tocados
Tocados

Mensagens : 55
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Lucian Daiki em Qua 22 Jul 2015 - 21:14

Aquela noite parecia longa demais, terrível demais, como uma noite comum foi acabar daquele jeito? As coisas estavam de forma que pegam as pessoas desprevenidas, acreditando serem donas do seu destino, mas estavam enganadas...  O rumo inesperado parecia não ser favorável a Lucian, pois seu confronto contra o vampiro estava por um fio, quase levando a morte dele, fora salvo por alguém inesperado, pois sem aquele outro lobisomem teria sucumbido diante do imortal.

Mesmo com a morte daquele vampiro as coisas ainda não estavam acabadas, A luta fora demais para Lucian que se encontrava ferido, após ver que tudo havia terminado Rhiannon correu até os dois, sabendo o que talvez seu coração já temesse, caído é completamente nu, ela não parecia se importar com isso, ou com o homem que se levantará e a observava ao lado de Lucian, enquanto colocava sua jaqueta sobre a cintura dele

Rhiannon colocou as mãos sobre o peito de Lucian, seu coração batia acelerado, seu toque era suave, parecia procurar alguma coisa, ao tatear o lado esquerdo sentiu a fratura, suas costelas estavam quebradas um gemido, se revelou em sua face, mas não em sua voz, os ossos começavam a se ementar. Segurando a mão de Lucian enquanto pedia desculpas seus olhos se abriram, ele tentou sorrir mais era difícil por entre a dor.

As mãos dela pareciam pequenas e frágeis, mais possuíam determinação e coragem, com movimentos rápidos e precisos sem hesitar, Rhiannon colocou os ossos nos devidos lugares antes de se curarem, ao fazer isso um grito ecoou pelo lugar o fazendo quase desmaiar, a temperatura estava elevada.

Em seguida se virou para o homem sem nenhum medo aparente dele, se desculpando e se apresentando, o mesmo não falara nada enquanto ela estava ajudando Lucian, ele sentia que tudo que ela falava era verdade, as batidas de seu coração não mentiam, eles de fato não poderiam ficar por ali, ela apontou para o corpo sem cabeça do vampiro ele a encarava com admiração e surpresa, ela dizia que precisavam se livrar das “provas”.

—  Não precisa se preocupe... Esse corpo irá desaparecer logo, está criatura e algo não natural por tanto ao morrer a natureza se encarrega de se livrar do que sobra, logo ele se tornará apenas poeira, Lucian teve muita sorte. Se não estivesse por perto e ouvido seu chamado, ele poderia estar morto agora, me chamo Jhaeson Blayke, é faço parte do bando deste idiota — Apontou com os olhos para Lucian.

Apesar de sua ofensa direcionada para Lucian, seu tom era suave, até preocupado, tinha uma confiança e camaradagem entre os dois que só poderia vim de uma amizade verdadeira, sem ele ali Lucian teria sido aniquilado.

— Como você disse não podemos ficar por aqui, não sabemos se há mais vampiros por aqui ou até mesmo humanos, vamos levar Lucian para que ele descanse, ele vai precisar de tempo para se curar totalmente, o vampiro não irá demorar a desaparecer não se preocupe. — Disse ele pegando o lado direito do Lucian, enquanto tentava ajudar segurando o lado esquerdo.

Rhiannon apontou para frente é disse que a pensão onde estavam não era muito longe dali, começaram a levá-lo a passos lentos, Rhiannon mesmo sem falar deveria estar cansada de tudo que ocorrera, com a jaqueta amarrada na cintura, Lucian estava sendo mais arrastado por eles, parecia se forçar a caminhar lentamente mais sempre que o fazia um gemido era emitido de seu interior, mesmo que não estivesse falando aquilo deveria doer muito.

Lucian Daiki
Lobisomens
Lobisomens

Mensagens : 69
Reputação : 1
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grã Bretanha

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 12 Anterior  1, 2, 3, ... 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum