Castelo de Arundel

Novo Tópico   Responder ao tópico

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Azrael Mors em Seg 17 Ago 2015 - 23:49

Eu e Uriel seguimos através das densas portas de madeira que nos separavam de Sebastian e das misteriosas acompanhantes de Uriel, não demorou em que eu pudesse visualizar duas lindas vampiras, a de cabelo ruivo se virou em minha direção e pareceu um tanto aflita igualmente a outra de cabelos pretos que prontamente se levantou assim que colocou seus olhos em mim passando em seguida para Uriel, essa segunda vampira que se levantou tinha algo especial, sua energia corria mais forte e densa... Ela certamente era forte! Não tanto quanto Uriel ou Sebastian, mas mesmo assim forte. Copos foram usados e garrafas abertas, o que mostrava que as jovens tinham degustado das bebidas, contudo isso não era algo ruim uma vez que não se importava das visitas ficaram a vontade. Nos entreolhamos esperando que alguém falasse alguma coisa, era palpável o desconforto de ambas as mulheres. Logo me dispus a falar e apesar da fala esta direcionado a Uriel, revezei meu olhar entre os olhos das duas damas... Um olhar um tanto sedutor, talvez até envolvente... Mesmo sendo algo que fazia inconscientemente.


- Então Uriel, faça as honras afinal são suas acompanhantes! – Terminei esperando a resposta do vampiro com uma postura firme sem deixar de ser elegante.
avatar
Azrael Mors
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 40
Reputação : 1
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Ter 18 Ago 2015 - 16:11

Enquanto seguiam para o hall ao encontro das duas vampiras, Uriel pensava nas palavras de Azrael mesmo que seu semblante não demonstrasse isso, ele seguia calmamente pelo corredor até despontar em uma porta de madeira, ao entrar no campo de visão viu olhares em sua direção, um longo silêncio se fez presente.

Uriel sorriu para Lucinda dando uma piscadela para ela que parecia entediada, o que  lhe surpreendeu foi que nada havia sido quebrado, ele ergueu uma sobrancelha ao notar que apenas as bebidas haviam sido mexidas, como sempre Lucinda deveria ter reclamado  das bebidas não tinha nada que ela gostava ali.

Sebastian estava próximo a porta, pronto para abater qualquer umas das convidadas de Uriel se seu mestre ordenasse, o posicionamento era padrão para não deixar ninguém fugir, Uriel parou é observou Azrael analisar as duas, como se tentasse desvendar ou encontrar algo apenas com os olhos, Lucinda se conteve, era visível para ele que ela poderia compreender a gravidade da situação, mas talvez não completamente, e ele sabia que teria que falar com ela depois.

O Volker se pronunciou para Uriel, mas olhando para todos presentes até mesmo para Sebastian que havia endireitando sua postura.

― Está certo, deixe-me fazer as honras, de apresentar as minhas convidadas, primeiro a de cabelos escuros se chama Lucinda Price, é a de cabelos vermelhos se chama Anabelle Lancaster, mas prefere ser chamada de Belle por motivos que desconheço.

Passou por Azrael e se aproximou de Lucinda, parando alguns metros de distância, e falou baixinho pra ela sabendo que todos ali poderiam escuta-lo

― Estou surpreso que não tenha quebrado nada... Ainda mais com o Sebastian aqui, ele deve ter sido bem chato, ele não tem charme algum não é? Este terno dele parece que está sempre vestido para um velório. — Sorriu olhando para ele.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Sebastian Cristovy em Ter 18 Ago 2015 - 16:29

Sebastian ouviu os passos começarem a ecoar na direção do Hall, permaneceu em silencio, observando as duas convidadas, a noite se aproximava de seu fim, volte e meia seus olhos pousavam na vampira de cabelos vermelhos.

Assim que adentraram no hall, seus olhos faiscaram ao ver a cara de Uriel, era visível o desgosto dele, ouviu o mesmo apresentar as vampiras, se aproximando da morena e falando alguma coisa em tom baixo, mesmo sabendo que todos ali poderiam escuta-los.

Sebastian o encarou por sobre o óculos escuro é apenas disse. — Você acha mesmo que estas suas ofensas de segunda me afetam? Não seja ridículo esta vivo ainda apenas pela benevolência do mestre, se não já teria se tornado pó.

O sorriso se alargou na face de Uriel, enquanto Sebastian olhava para ele, e de relance para Belle, parecia preocupada, deveria se perguntar em que furada havia se metido, mas agora era tarde para retornar.
avatar
Sebastian Cristovy
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 12
Reputação : 1
Data de inscrição : 28/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Azrael Mors em Qua 19 Ago 2015 - 21:27

De pé diante as duas vampiras a curiosidade em saber quem eram já estava me incomodando, entretanto Uriel logo se apressou a fazer as apresentações. A vampira de cabelos escuros que havia de certa forma se destacado se chamava Lucinda, porém... Havia algo em seus olhos, algo que eu ainda não conseguia identificar, mas que a ligava a Uriel como uma semelhança, era como ver dois panos brancos manchados de vinho, apesar de as manchas terem formas diferentes, foram manchadas por vinho, ou seja, tinha algo em comum apesar de diferente. Meu olhar enfim passou para a vampira ruiva na qual Uriel apresentou como Anabelle Lancaster, mas que preferia ser chamada de Belle.

Era claro que a mesma estava um pouco nervosa. Uriel fazendo jus de sua personalidade logo falou de forma baixa mais propositalmente audível a todos, mas era claro que se tratava mais de uma provocação ao meu guarda real do que uma preocupação com meus bens matérias ou o bem estar da vampira, o que deixou claro no final de sua frase. Contudo Sebastian não iria se ofender por algo assim principalmente vindo de Uriel, e demonstrou isso com suas palavras, entretanto não conseguiu esconder o desgosto que reservava para o vampiro... Isso não seria um problema, afinal Sebastian é meu leal guarda e não faria nada que fosse contra minhas ordens. Sebastian terminou deixando claro que Uriel e suas amigas só estavam “vivos” apenas pela minha vontade, o que de fato era verdade... Todavia logo interrompi o que poderia ficar um tanto mais grave do que gostaria.

― Parem vocês dois! – Falei em um tom firme, mas não necessariamente alto, só o suficiente para que fosse escutado. – Uriel você está em uma situação complicada e nós já conversamos sobre isso! Você por acaso quer que eu o lembre?
Esperaria a resposta de Uriel sem mudar minha feição calma, mas séria. Após isso iria novamente passar meus olhos pelas vampiras para achar uma melhor forma acomoda-las. Minha decisão de mantê-las no castelo foi rápida apesar de bem analisadas as vampiras não demonstraram nenhum intuito de planejarem alguma besteira, e mesmo que estivessem planejando seria algo inútil. 
― Sebastian! Acompanhe Lucinda e Anabelle até seus aposentos. Acomode Lucinda no primeiro quarto do segundo andar próximo a escada, depois siga para a torre sul com Anabelle no quarto superior. Após isso pode se recolher ou ajude Belle a tomar banho, faça o que achar melhor. E quando o sol se por... Venha a meu encontro.  Coloquei minha atenção agora em Uriel e continuei.

― Quanto a você Uriel... Escolha o quarto que quiser desde que seja bem longe do das meninas. E Sebastian... – Voltei minha atenção ao guarda real. – ... Mande nossos melhores vampiros guardarem a porta das nossas hospedes e não as deixa sair até o jantar, creio que estarei de volta até lá. Qualquer tentativa de fuga ou aproximação tem ordens de agir conforme julgar necessário!

Apesar de ter permitido as vampiras se hospedarem, eu preferia mantê-los separados pelo menos por enquanto. Anabelle não aparentava ter uma má índole ou segredos sujos, em geral parecia uma boa vampira e até de certa forma confiável, Uriel até tinha um credito de confiança comigo, baixo, mas tinha! Por outro lado Lucinda... Havia algo que ainda alimentava uma suspeita... Seu cheiro era peculiar, uma sensação que crescia a cada momento.


avatar
Azrael Mors
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 40
Reputação : 1
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Qua 19 Ago 2015 - 22:23

Azrael interveio na pequena discussão que mais parecia uma pequena diversão para Uriel, uma ameaça velada veio das palavras seguintes de Uriel, a conversa havia sido perigosa mais o que na vida de Uriel não era... Mais ele ergueu as mãos demonstrando não querer relembrar o papo chato de poucos minutos atrás.

Após pedir que Sebastian acompanhasse as vampiras as duas passaram por Uriel, ele sorriu para Belle e piscou para Lucinda como se aquilo fosse uma mensagem que apenas eles entenderiam, o que de fato era, mais tarde ele teria que falar com ela. Se direcionando para Uriel, Azrael   deu carta branca para a escolha de seu quarto, desde que fosse bem longe de suas acompanhantes é de Sebastian sorrindo ele disse:

― Assim você tira toda a diversão de estar em seu castelo. ― Sorriu sarcasticamente, olhando para Sebastian. Enquanto seus olhos observavam Lucinda e Belle.

Azrael  pediu que seu guarda real trouxesse vigilantes para observar as acompanhantes de Uriel, isso não o surpreendeu, na verdade ele até esperava isso, pois assim iria acreditar que elas eram parte de algum plano, quando na verdade elas eram apenas a isca para atrair o olhar para outra direção como um truque de mágica, as ordem de agir como necessário fez Uriel segurar um riso, pois se perguntava se haveria um vampiro capaz de conter Lucinda independente de que idade tivessem, mais ela teria que segurar as rédeas, pelo menos por enquanto, teria explicar a ela depois.

Sebastian caminhou seguido pelas vampiras, enquanto Uriel permaneceu no salão com Azrael, que se virou para ele é esperou todos saírem do alcance, até seus passos não serem mais ouvidos e perguntou:

― O que achou delas? Não parecem nenhuma ameaça não acha... As trouxe apenas para cuidar da segurança delas, se estiverem onde possa ficar de olhos poderei  protegê-las, e uma vez que vim para o castelo de um original sei que ninguém seria louco o suficiente para fazer besteira. ― Disse Uriel para seu anfitrião.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Azrael Mors em Qua 19 Ago 2015 - 22:46

Observei as jovens vampiras acompanhar Sebastian de bom grado, por mais que tenha de fato feito minha despedida algo me dizia que ainda veria aquelas donzelas enquanto as mesmas estivesse hospedadas em minha propriedade. Pude vislumbrar Uriel sorrindo e piscando em direção as meninas o que para mim de fato não havia de ter significado algum, possivelmente algo que somente eles entenderiam, de qualquer forma não me interessava em nada. Após ter dado a opção de escolher o próprio quarto, Uriel respondeu ainda de forma sarcástica com seu sorriso característico que apenas desconsiderei e julguei desnecessária uma resposta, por fim apenas sorri como se no fundo ainda achasse alguma graça em seu comentário sarcástico.

Olhei atentamente para Lucinda. Annabelle não provocaria problemas, a mesma parecia de certa forma ser ingênua, isso poderia ser uma característica um tanto nobre, mas certamente incoerente com a imortalidade que agora tinha. Não podia culpa-la, pois ainda era jovem em relação aos demais vampiros presentes naquele castelo e a única coisa que podia resumir é que não apresentava nenhum perigo, ao contrário da outra imortal que a acompanhava...
Desconfiava da verdadeira relação que Uriel tinha com a vampira e de certo não me importava. Sou a prova de que vampiros podem amar, mas não Uriel, pois a única coisa que ele via e sentia era seu desejo de vingança o que me leva a perguntar... O que ele queria com alguém tão parecida com ele? Ou melhor, alguém que possuía os mesmos desejos e estímulos de seguir em frente, que consequentemente tinha uma mente fechada e focada em seu objetivo e derrubaria o que estivesse na sua frente. Seria sua força?

De fato aquela vampira era velha, pois sua energia demonstrava uma grande força, menor em comparação a Uriel e Sebastian, mas mesmo assim muito maior do que a de vampiros comumente encontrados. Independente dos motivos de Uriel, pessoas como ela poderiam trazer problemas. Da mesma forma que se aplicava a jovem, minhas palavras também se aplicavam a Uriel, algo em seu sorriso em seu rosto não estava certo... Havia muito mais do que me dizia e eu já não estava gostando disso! Mas o que ele pretendia fazer? Conhecia Uriel a um bom tempo para saber que ele dificilmente trabalhava em equipe e certamente preferia realizar seu plano sozinho... Entretanto seria muito sábio da parte do bastardo não trair minha confiança.

Uriel esperou até que os passos de Sebastian e suas acompanhantes já não pudessem ser ouvidos, e logo por fim falou, ou melhor, questionou algumas coisas ao tempo que afirmava outras bem contraditórias. A sala estava em um silencio profundo, me virei para Uriel com meu sorriso mais simpático, mas ainda assim era possível ver certa sabedoria misturada a uma ponta de desconfiança, porém imperceptível aos desatentos e um tanto incerta para os que enxergavam detalhes como Uriel.


- Gostei particularmente de Annabelle... – Falava enquanto observava em minhas mãos a taça em que a vampira havia tomado. -... Ela tem características únicas muito incomuns em vampiros, o que me admira estar andando com você. – Terminei jogando a taça para Uriel para que ele a pegasse em pleno ar. – Talvez se junto a sua ingenuidade tivesse um pouco mais de experiência ela não faria tal coisa, certo? – Perguntei retoricamente sem esperar que Uriel respondesse. – Mas Lucinda... Intriga-me bastante. – Não entrei em detalhes neste tópico, digamos que ainda não era a hora. Me afastei um pouco analisando os objetos que foram mexidos, mas de forma inconsciente, pois minha atenção estava direcionada ao vampiro olhando para ele de lado voltei a falar.


– Bem Uriel, realmente tem razão em uma coisa, aqui no meu castelo ninguém seria louco de fazer alguma coisa. – Apesar de não explicito tinha certeza que Uriel sabia que eu também o incluía nesta lista assim como também suas amigas, logo continuei. - Você diz que as trouxe para protegê-las, certo? O que me deixa intrigado, digo, já lhe conheço a tempo suficiente para saber como gosta de agir, por esse motivo me pergunto... Porque você necessita protege-las? – Parei para escutar sua reposta e esperava que o bastardo fosse sábio no que diria.

avatar
Azrael Mors
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 40
Reputação : 1
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Qua 19 Ago 2015 - 22:59

A pergunta de Uriel era mais retórica mais ficou empolgado quando Azrael começou a dizer que havia gostado da Anabelle, isso talvez se dava pelo fato de não aparentar nenhuma ameaça real a ele ou seus planos, ele segurava uma taça distraidamente, continuou a falar sobre a vampira de cabelos ruivos se perguntando o porquê dela está andando com ele, mas as vezes as ações e consequências apenas acontecem.

Uriel viu a taça ser lançada em sua direção é a pegou facilmente, enquanto a última colocação de original pareceu interessar Uriel que sorriu e disse:

― Provavelmente ela seja muito ingênua mesmo, se tivesse mais experiência talvez seus instintos a alertasse do perigo que corre estando comigo.

Azrael não se preocupou se teria resposta, mais Uriel o respondeu mesmo assim, em seguida ele falou se intrigar com ela, mas a verdade é que todos se intrigavam com ela, até mesmo Uriel sabia disso mesmo que não reconhecesse, enquanto o original caminhava pelo salão tocava em alguns dos objetos, suavemente se virou para Uriel.

Seus olhos demonstravam confiança, algo que apenas um original poderia demonstrar com tamanha certeza, reforçando que no castelo dele seria difícil alguma coisa acontecer, apenas se loucos não descem valor a própria vida, e Uriel estava contando com isso, uma vez que havia libertado Lucinda do cativeiro de Maquiavel, o único lugar seguro seria ali, debaixo da asa de outro original.

Mais claro que Uriel não iria dizer isso a ele, mas sabia que a pergunta viria, e assim ocorreu, Azrael perguntou porque queria protege-las, ele parecia acreditar que conhecia Uriel, mas o que ele sabia era apenas o que Uriel permitia revelar, mas respondeu à pergunta sem pestanejar. Enquanto colocava a taça na mesinha de bebidas, pegou um copo pequeno e largo, colocou alguns cubos de gelo é depositou um pouco de uma das bebidas da mesa, não se importou o que era apenas virou o copo completamente é disse:

― Bem... Pode parecer estranho é contraditório, mas não sou  o que imagina, possuo um objetivo bem claro é definido para mim, mas estas duas estão nesta encrenca por minha causa, e sei ajudar é recompensar quem me ajuda, seja uma vampira novata, uma mais velha ou até mesmo um original... sei quitar meus débitos.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Azrael Mors em Qua 19 Ago 2015 - 23:03

Uriel respondeu minha pergunta apesar de que não esperava uma réplica para a mesma, mas que de certa forma acabou por concordar com o que havia suposto. Sim talvez os extintos de Annabelle a tivessem lhe alertando sobre Uriel, mas principalmente alertaria para o que estaria por vir. Por fim Uriel respondeu minha pergunta na qual realmente queria receber alguma resposta é exatamente como dito pelo próprio Uriel a resposta pareceu estranha e contraditória, afinal era ele o vampiro que possuía um objetivo e para alcança-lo usava e descartava a quem fosse que seja, ou pelo menos era isso que ele tentava deixar claro, devido a isso ver o vampiro tento um lapso de gratidão e companheirismo... Bem, não era algo que eu imaginaria ver. Apesar de não acreditar muito nisso eu no fundo esperava que fosse verdade. Suas palavras finais foram algo que para mim pareceu que o mesmo queria me lembrar de que de certa forma eu estaria ganhando em ajuda-lo, não que ele tivesse algo que me interessasse, mas era algo um tanto agradável de saber.

- Uriel, será que por fim em meio a tanto deslustre você tem alguma característica nobre?! - Falei com o tom de pergunta deixando um leve sorriso de canto em meu rosto, entretanto deixando subentendido que dê certo não acreditara neste fato, todavia não hesitei em demostrar, por mais que pequena, certa credibilidade as palavras de Uriel afinal seria interessante para seu futuro se suas palavras tivessem alguma veracidade. No entanto esta era outra pergunta que não necessitava resposta, logo continuei. – Bom dia meu amigo! – Disse enquanto me virava e retirava-me do recinto deixando Uriel livre para ir a seus aposentos ou fazer seja lá o que planejava. No momento apenas me retirarei para meus aposentos, tinha muito que refletir e certamente algumas cartas para escrever.

Por fim afastei-me Uriel apenas como uma sombra atrás de mim, mas com a certeza de que independentemente de onde esteja eu sempre o estaria observando e isto... Certamente era algo que ele também sabe.
avatar
Azrael Mors
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 40
Reputação : 1
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Ter 8 Set 2015 - 10:30

Uriel se surpreendia como Azrael buscava constantemente ver alguma coisa boa em Uriel, mais tal coisa se de fato existisse nele estava escondido bem fundo em seu interior, trancado a sete chaves, sorriu com a colocação de seu anfitrião que talvez ele tivesse alguma característica nobre, por sua vez Uriel se colocou apenas a sorrir.

Se despedindo Azrael subiu pelas escadas seguindo para seus aposentos, Uriel ficou no hall, por um tempo, enquanto apreciava sua bebida, é pensava em suas próximas jogadas, apesar dos contra tempo, tudo havia saído relativamente dentro do esperado. Ele precisava descansar.  A noite ele precisaria falar com Lucinda.

Era chegado o momento de ele revelar parte de seu plano, é ver como ela aceitaria tal loucura, que poderia ser considerado um ato suicida, mas isso não era novidade vindo de Uriel, tomou mais uma dose de sua bebida e seguiu para seu quarto.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Lucinda Price em Seg 14 Set 2015 - 18:57

No centro do hall Uriel tratou de fazer as apresentações como fora ordenado enquanto o nobre vampiro analisava minuciosamente as duas visitantes que, aparentemente, não eram bem vindas. Lucinda permaneceu em silêncio limitando-se a uma breve reverência com a cabeça ao ser citada pelo companheiro suicida. Ao contrário de Uriel ela não era estúpida o suficiente para fazer piadas naquele momento, embora tenha rido internamente pelo comentário que ele fizera ao seu ouvido deixando claro que não era a única a reparar no cão de guarda.

Entretanto, não estavam ali a passeio e a jovem manteve-se o mais neutra possível afim de evitar eventuais problemas, mas seu plano se esvaiu assim que seus olhos encontraram os de Azrael que fitavam-na com demasiada desconfiança. Um arrepio percorreu-lhe a nuca e ela soube de imediato que algo desagradável a aguardava "Digno de você, Ivanov" o amaldiçoou em pensamentos ao se dar conta de que ela nada mais era uma mera Distração.

Sebastian! Acompanhe Lucinda e Anabelle até seus aposentos. - Lucinda lançou um rápido olhar para Uriel franzindo o cenho numa fração de segundos alertando-o de que tinham muito o que conversar e que era melhor ele dar um jeito daquela conversar acontecer ou então ela o fuzilaria na primeira oportunidade.

Mesmo que ainda não soubesse pelas palavras dele a jovem sentia seus instintos agitados com a estadia naquele castelo, devia confessar que não sentia-se a vontade dormindo a sombra da realeza, não importava se era o irmão certinho da trupe, ela não confiava nele e não confiava em ninguém até que tivesse motivos reais para isso.


Acompanhou o cão de guarda a contra gosto seguida por Anabelle passando por alguns corredores e subindo um grande lance de escada até ser informada em qual aposento deveria se instalar.

- É o que temos para hoje, senhores. - um sorriso irônico desenhou-se nos lábios rosados e ela balançou a cabeça discretamente para Anabelle em forma de sinal antes de desaparecer dentro do quarto escuro e esperou que ela a compreendesse. Não era íntimas, mas reconhecia o esforço que o vampira fizera na intenção de ajudá-la quando esteve presa pelo irmão bastardo da família real, por tanto deveria mantê-la segura enquanto estivessem juntas nessa história.


Fechou a porta atrás de si e apoiou as costas na mesma deixando o corpo escorregar até sentar-se no chão, apoiou os cotovelos nos joelhos dobrados e repousou o rosto entre as mãos respirando pausadamente para liberar a tensão que sentia sob a aura densa do Volker. 


"Droga Uriel...", jogou a cabeça para trás rente a maciça porta, analisou o quarto escuro lembrando da sensação das correntes e acariciou involuntariamente um dos pulsos pensativa.

- Tão irônico - correu o dedo pela fina cicatriz que restava causada pela prata, sua voz era um misto de raiva e frustração num murmúrio que apenas ela podia ouvir - Ainda estou presa. Maldição.
avatar
Lucinda Price
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 48
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Anabelle Lancaster em Ter 29 Set 2015 - 21:33

Seguíamos apenas eu e Sebastian pelos corredores para o meu quarto. Permanecíamos quietos, ele parecia meio frio, meio quieto, então fiquei quieta. Ao chegarmos em meu quarto, abri a porta e me virei para ele, sorrindo.

- Aparece aqui mais tarde, vou tomar um banho agora, e quem sabe você não pode me fazer companhia depois?

Inclinei meu corpo para frente, deixando o rosto mais próximo do seu, fazendo o decote mais visível. Mordi o lábio de leve, e entrei, piscando antes de fechar a porta.

Minhas pernas ficaram bambas e eu me joguei na cama, respirando profundamente. Minha cabeça parecia prestes a explodir. Os olhos daquele cara ainda pareciam me vigiar ali dentro. Virei meu corpo, olhando para cima, respirei novamente, mas o ar parecia não encher meus pulmões.

Sentei, tirando as botas, e jogando-as num dos cantos do quarto. Tirei também a camisa, jogando junto às botas, e me levantei, indo para o banheiro.

- Lucinda, Lucinda... - Ao entrar no banheiro, me lembrei daquele pequeno hotel em que passamos antes de vir para cá. 10x0 pra esse aqui, muito mais lindo, grande e limpo. Me olhei no espelho e deixei minha cabeça fluir em pensamentos
 

Entrei no banheiro, já sem camisa, enquanto Lucinda se banhava logo atrás. Desabotoei a calça e deixei que ela deslizasse pelo meu corpo. Olhei para meu reflexo no espelho e pude vê-la atrás, levemente escondida por uma cortina de fumaça. Suas costas ainda estavam muito machucadas. Quão estúpido e grosseiro poderia ser Uriel a ponto de deixar uma mulher se machucar tanto assim por ele?

- Há quanto tempo? – Perguntei à ela, apontando com a cabeça em direção ao cômodo ao lado quando ela me dirigiu um olhar de canto.

Me virei para ela, seguindo até o chuveiro, girando um pouco mais o registro, o suficiente para que o chuveiro fizesse um barulho mais alto, e cochichei para ela.

- Lucinda, problemas? – Indiquei novamente com a cabeça o cômodo onde ele estava. – Ele parece tão imerso nos problemas dele a ponto de não ligar pra mais ninguém, olha só pra você. – Movi os lábios sem emitir qualquer som. Não queria que Uriel escutasse nada.

- O que esta acontecendo? – Me encostei na parede próxima a ela, encarando aqueles olhos intimidadores. Lucinda era tão assustadora quanto delicada.


Sai com a toalha em volta do pescoço, trajando apenas minha lingerie, com os cabelos presos num coque no alto da cabeça. Afastei os lençóis e me sente na beira da cama, depois joguei a toalha numa poltrona que tinha perto da janela e me deitei.

- Preciso me distrair antes que enlouqueça como Uriel. – Olhei de canto para a porta. – Espero mesmo que ele volte, a tempos não me divirto com um vampiro.
avatar
Anabelle Lancaster
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 17
Reputação : 1
Data de inscrição : 07/07/2015
Idade : 22
Localização : São José dos Campos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Sebastian Cristovy em Qua 30 Set 2015 - 17:22

Sebastian aguardou em Silencio o retorno de seu mestre, prontamente se pôs a realizar a tarefa incumbida de guias as visitantes aos seus aposentos, aquelas poucas palavras de Azrael foram o bastante para informar nas entrelinhas que o original tinha formulado sua própria teoria sobre tudo aquilo, mas nada disse primeiro levou Lucinda a seu quarto, a deixando, assim que a porta se fechou, seguiu viagem na companhia da vampira ruiva.

A mente de Sebastian tentava imaginar quais seriam os próximos passos de Uriel assim como de Azrael, mas ele sabia que qualquer que fosse o jogo, era um bastante perigoso, preso em seus próprios pensamentos não conversou com Anabelle, parando na porta de seus aposentos, a ouviu flertar com ele sem qualquer pudor, tal atitude simples arrancou um leve sorriso dele, até mesmo ela o provocava a fazer algo que ele não sabia se poderia surgir alguma coisa boa ao saber que ela era conhecida do Uriel.

Se aproximando dele, Sebastian sentiu o aroma que emanava de sua pele, uma mistura de frutas frescas, seu decote afrouxou sobre seus seios, chamando a atenção do Sebastian por uma fração ínfima de segundos, mordeu os lábios e piscou antes de entrar e fechar a porta do quarto. Sebastian retirou de seu bolso um celular.

― Alô. Sou eu, temos convidados precisarei de quatro "ajudantes", precisaram ficar de olho nelas, logo que o sol começar a desaparecer no horizonte, se prostrem nas portas  de seus quartos, é não as deixe sair, fui claro.

Finalizou colocando o celular de volta no bolso, é seguindo para seus aposentos, sabia que assim que a noite chegasse ele teria que se reportar ao senhor Azrael , ele não sabia o que esperar, mais sabia que coisa boa não seria como um dos seus guardas pessoais era seu dever fazer o que pudesse para ajuda-lo.
avatar
Sebastian Cristovy
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 12
Reputação : 1
Data de inscrição : 28/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Seg 5 Out 2015 - 23:06

Após tomar sua bebida, subiu o lance de escadas, reduzindo seus passos ouviu Sebastian falar no telefone sobre a vigia que seria colocada em suas acompanhantes, uma careta de desgosto se desenhou na face de Uriel, teria que alterar seus planos, era de suma importância conseguir conversar com Lucinda, antes que esta conversa se tornasse mais difícil de acontecer.

Sendo Uriel o criador de Lucinda, independente de onde ela estivesse ele a encontraria, era uma ligação invisível que unia os dois tanto para o bem quanto para o mal, um elo poderoso é ao mesmo tempo perigoso, passando por alguns corredores chegou ao quarto dela.

Uma imponente porta de madeira estava diante dele, toda aquela construção antiga o fazia lembrar de um tempo antigo, onde honra, coragem e bravura eram conceitos valorosos entre homens e mulheres, porem tal tempo passou é agora apenas ganancia, mentira e traição reinava no mundo, tanto dos humanos quanto no dos vampiros.

Uriel bateu na porta duas batidas leves, com certeza ela saberia que era ele, eles não tinham muito tempo, o sol logo iria nascer é com ele a fraqueza que se apoderariam deles.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Lucinda Price em Qui 15 Out 2015 - 21:00

Passado alguns minutos, Lucinda sentia-se mais calma e lembrou-se por um momento de Anabelle e se a mesma teria entendido seu sinal, apesar de não a conhecê-la e talvez não ter a chance de o fazer não a desejava mal. Seus pensamentos foram retomados pela breve conversa que tiveram antes de rumarem para o Arundel e a vampira sentiu um pesar sobre os ombros. A companheira era jovem demais para entender suas escolhas em relação a Ivanov e talvez ela nunca as entendesse.

+++


"Ouviu a porta se abrir levemente a suas costas e ela soube de imediato quem era. O vapor do banho inebriava a curta distância entre elas e Lucinda não parecia se incomodar com os olhares da outra vampira, de certo analisava suas costas nuas cobertas por cicatrizes mal curadas que sofrera naquela droga de cativeiro. Deslizou os dedos entre os cabelos enfiando o rosto na água quente deixando que ela acariciasse as curvas de seu corpo em recuperação, fechou os olhos enquanto acompanhava os passos de Anabelle ignorando a pergunta que esta lhe fizera quando a mesma estacou sutilmente ao seu lado abrindo um pouco mais o registro.

A água quente se esvaiu lentamente caindo a temperatura pelo aumento do fluxo do registro, mas Lucinda não se moveu, apenas continuou de olhos fechados sentindo o calor do vapor que envolvia seu corpo.



- Lucinda, problemas? – ela espiou Anabelle por uma fenda através da água quando maneou a cabeça apreensiva indicando o que havia do outro lado da parede. É claro que ela sabia ao que a ruiva se referia, mas permaneceu em silêncio tornando a fechar os olhos ignorando-a outra vez – Ele parece tão imerso nos problemas dele a ponto de não ligar pra mais ninguém, olha só pra você. - sibilou a vampira mais próxima. Se Uriel ouvisse aquelas palavras em mesmo tom, certamente não seria agradável e ela sabia disso melhor do que ninguém - O que esta acontecendo?



Lucinda abriu os olhos de súbito e num movimento rápido e silencioso encurralou a nova companheira de banho contra a parece a cercando com seus braços, a jovem encurtou a distancia entre seus rostos por apenas centímetros fitando-na com seus olhos claros como o gelo. "Shh..." olhou rapidamente para a porta para se certificar de que não teria outra companhia e depois voltou-se para a novata sem qualquer ironia.



- É mais complicado do que imagina. - baixou um pouco mais o tom da voz - Você me pergunta o que está acontecendo, pois lhe digo... - agora era ela quem sibilava - Não se trata de um simples problema para ele, é por isso que ele se mantém vivo e ele não se importa com sacrifícios. - desviou os olhos da vampira a sua frente e encostou a lateral do rosto no de Anabelle quase sussurrando em seu ouvido - Se deseja mesmo ficar é bom que tenha isso em mente, se não, fuja na primeira chance - a água morna respingava sobre elas - Me certifico de que ele não a incomodará se assim desejar.

Por séculos Lucinda acompanhou os passos de Uriel como uma sombra a sua disposição, entretanto ele nunca revelara nada significativo à ela pelo tempo que estiveram juntos e tudo o que aprendera sobre Ivanov era fruto de suas constantes observações. Não podia negar que todos aqueles segredos somados a exótica beleza russa a deixavam intrigada. Por mais que não gostasse de admitir ela estava ligada a ele por grossas correntes e apenas Uriel poderia torná-la livre.

Afastou-se de Anabelle tão subitamente quanto se aproximara dando as costas à procura de uma toalha. Deslizou o tecido fofo pelo rosto e envolveu o corpo cobrindo a pele alva e dirigiu-se para a porta.

- Não deveria se envolver, criança. - segurou a maçaneta da porta, mas não girou, sua voz carregava um pesar primordial - É certo que não sairei viva desta, mas você... Bem, há uma escolha."


+++


Levantou-se com esforço do chão escorando-se onde pôde espantando qualquer pensamento que a desgastasse mais no momento, estava realmente cansada dos últimos dias por quais passara sem se alimentar adequadamente e a fraqueza estava começando a mostrar indícios, mas antes optou por um demorado banho na grande banheira que o quarto oferecia. Tirou o casaco exibindo a regata branca que vestia por baixo e caminhou até o banheiro para preparar o banho com algumas essências que encontrara nos armários quando ouviu um toque suave na porta.

Retornou para o quarto enxugando as mãos numa toalha já sabendo de quem se tratava e abriu a porta num movimento rápido e silencioso puxando a visita para dentro com a mão livre.

- Já não era sem tempo, Uriel. É melhor ter bons argumentos.
avatar
Lucinda Price
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 48
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Azrael Mors em Sex 23 Out 2015 - 4:13

Andei por entre os corredores do grande castelo, minha mente vagava nas lembranças assim como facilmente poderia prever os movimentos de Ivanov... Pobre Uriel... Sei exatamente que apesar das minhas ordens expressas ele achara uma forma de conversar com sua “amiga”. Lucinda... O que quer Uriel com a dama e qual a ligação dela com toda sua trama vingativa? A algumas eras atrás ela seria uma Lady entre vampiros e certamente viveria em castelos, mas agora somente vejo duvida, uma alma perdida... Pois bem, este assunto será algo a se observar mais adiante.

Entrei em meu quarto, um aposento grande com varias moveis coloniais para dar um aconchego, todavia havia alguns de alvenaria que mantinha aquele ar medieval que o castelo exalava em seus tijolos. Sentei em minha cama de casal que preparei para quando Cloe estivesse comigo, o que me faz lembrar... Onde será que ela esta? Ainda não recebi nenhum contato de Uraclon e Danyel... Pois bem, eu precisava informar a meus irmãos e deixa-los a par das novas informações e teorias, entretanto principalmente eu precisava refletir sobre tudo, sobre Uriel e seus planos e também sobre Cloe, apesar de não demostrar para ninguém eu já sentia os efeitos de sua ausência e sua falta era notada e sentida por mim... Espero que não tenha acontecido nada com eles, pelo bem de todos!

Batidas na porta ecoavam pelos cantos do cômodo e logo a porta se abriu a minha frente havia uma vampira jovem usando roupas de serviçal, ela era jovem tanto na aparência humana como na sua verdadeira idade. Com seus dezoito anos de idade a jovem aparentava ter apenas treze, o que foi deveras cruel ou inconsequente da parte de seu criado, pois agora a vampira esta destinada a ter esta aparência por toda eternidade! Apesar de tudo a jovem muito me agradou e por decisão própria decidi mantê-la comigo, logo falei.

- Lua, quero que mande preparar um jantar para mim e nossos convidados! Que tenha fartura tanto em comida quanto em bebida! – A ultima palavra tinha um significado único para a jovem, na verdade teria um significado importante para qualquer vampiro. – E que esteja servido antes do amanhecer... E por favor, vá de encontro a Sebastian e o mande vir até mim imediatamente.

A jovem assentiu com um sorriso tímido e até nervoso e logo se retirou pela porta que entrara me deixando com minha própria companhia novamente. Andei calmamente para minha mesa, e escrevi uma carta contando sobre minha conversa com Uriel e os possíveis planos de meu irmão bastardo, logo que acabei sente-me em minha poltrona e esperei que Sebastian chegasse ou que o jantar se aprontasse.
avatar
Azrael Mors
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 40
Reputação : 1
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Sex 23 Out 2015 - 22:06

Como imaginado Lucinda sabia que era Uriel, tanto que sequer esperou que ele falasse alguma coisa, o  segurou pelo braço o puxando um movimento rápido e silencioso ,  a porta se fechou no mesmo instante, Uriel deu dois passos longos e caiu na cama enquanto Lucinda parecia  impaciente querendo saber os motivos de tudo aquilo.

Na cama ele colocou o cotovelo sobre a macia colcha é sorriu para ela.

— Se me queria em seu leito bastava pedir, sei que os tempos são outros mais sou dos velhos costumes, onde os homens cortejam as mulheres sabe...

Disse ainda olhando para ela, mas seus pensamentos estavam inquieto, era como  um iceberg, por cima era gelo sólido mais por baixo agua forte seguindo uma correnteza sem destino ou direção, ele sabia que o momento de falar havia chegado, apenas não tinha certeza o que sairia disso.

Afinal por mais ardiloso, calculista, frio é paciente ele não poderia prever o futuro, nem mesmo sabia se queria, o sorriso se desfez enquanto ele se colocava de pé com um tom mais neutro.

— Creio que meus argumentos não serão bons, mas apenas verdades espero que esteja pronta para elas.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Sebastian Cristovy em Sex 23 Out 2015 - 23:29

Sebastian estava em seus aposentos, apenas com a calça deitado quando batidas soaram a sua porta, ainda deitado apenas disse:

— Pode entrar. — A porta se abriu suavemente.

Uma bela jovem adentrou com seu uniforme, o quarto de Sebatian, não possuía muitas coisas apenas uma cama grande com pesados lençóis, na janela uma grosa cortina vermelho escuro, uma escrivaninha, um violão no canto próximo a um armário.

— O que foi Lua? — Olhou para ela enquanto se sentava na cama.

— Senhor... O mestre Azrael chama pelo senhor.

— Mais ainda nem anoiteceu... Ele deve estar realmente inquieto, o que será que Uriel disse a ele?

Disse mais para si mesmo do que para a jovem que ainda estava parada próximo a sua cama, se levantando revelou seu corpo bem definido, se aproximou da jovem.

— Pode voltar aos seus afazeres, deve ter coisas  a fazer, irei imediatamente  falar com o mestre irei apenas me vestir.

Menos de cinco minutos depois Sebastian estava vestido, suavemente se direcionou até os aposentos de Azrael, apesar do dia logo começar a nascer, aquele castelo tinha ordem expressas de se manter sempre fechado, as grossas paredes feitas de rocha impediam a luz do sol. Diante da porta de duas batidas e aguardou.
avatar
Sebastian Cristovy
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 12
Reputação : 1
Data de inscrição : 28/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Lucinda Price em Dom 22 Nov 2015 - 12:19

Se me queria em seu leito bastava pedir, sei que os tempos são outros mais sou dos velhos costumes, onde os homens cortejam as mulheres sabe... - apoiado na cama sobre os cotovelos Lucinda não pode deixar de admirá-lo, depois de tanto tempo ele não mudara absolutamente nada...

Não sei onde você possui velhos costumes, Uriel - disse terminando de enxugar as mãos e jogando a toalha úmida no rosto do rapaz - Seja breve, não devemos ter muito tempo aqui. - Lucinda deu um rápido sorriso antes de iniciar o assunto.

Ele podia não admitir, mas ela sentia a dimensão dos problemas que o assombravam por séculos, seus olhos turbulentos contradiziam seu sorriso despreocupado e uma tensão recobria todo seu corpo, diante aquela imagem a jovem vampira sentou-se numa poltrona de frente para a cama, deixando o macio estofado moldar-se ao seu corpo enquanto mantinha seus olhos fixos em Ivanov que a pouco se levantara da cama dispondo-se em pé a sua frente e como uma águia atenta ao mínimo movimento ela o observava com seus frios olhos de gelo.

Creio que meus argumentos não serão bons, mas apenas verdades espero que esteja pronta para elas. - um arrepiou gelou seu estômago, era difícil assimilar que depois de 900 anos ele finalmente lhe contaria algo concreto além de palavras ao vento. Lucinda pressionou os braços da poltrona com finos dedos discretamente e curvou-se um pouco em direção à Uriel. 

Não sabia o que esperar quando ele começasse a falar e o medo disfarçado de insegurança abriu uma cratera no chão entre eles de onde a jovem não via nada além de escuridão... A mesma escuridão que rodeava suas lembranças desde o início de sua existência naquela natureza sedenta por sangue, a mesma escuridão que ela via nos olhos de Ivanov.


Era como uma avalanche de sentimentos que, consequentemente, chegara ao pé da montanha.
avatar
Lucinda Price
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 48
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Qua 25 Nov 2015 - 23:08

Segurando a toalha que Lucinda havia jogado, Uriel caminhava lentamente por todo o quarto olhando todos os detalhes do lugar, ela falou do pouco tempo que tinham é isso era verdade.

Ele viu um espelho grande no canto perto de uma cômoda, ele refletia metade do corpo de Uriel, da metade para cima, pelo canto do olho ele viu Lucinda aparecer no reflexo.

― Não se preocupe com o tempo, o sol logo vai nascer, mais as paredes do castelo são grossas nenhuma luz vai invadir, Azrael não foi muito com a sua cara, provavelmente ele viu muito de mim em você e isso o irrita. ― Falou se virando para ela jogando a toalha na quina do espelho.

Caminhou até Lucinda, olhou em seus olhos como se aquela fosse a última vez que faria aquilo, esperou  por uma fração de segundos, passou por ela é se sentou na cama.

— Sebastian como bom servo, vai chamar reforço para nós, isso significa que ele tentará isolar nossa comunicação ou manter sempre olhos por perto, mais antes que isso aconteça tem coisas que preciso ditas.

Lucinda parecia observa-lo, isso era natural Uriel sempre tinha  uma piada ou uma frase sarcástica, mas naquele momento nenhuma delas seriam usadas.

— Lucinda antes de mais nada, irei dar o que sempre quis, se não for o seu maior desejo pelo menos deve ser o segundo, é isso significa sua liberdade, estará livre de qualquer vínculo ou obrigação para comigo, mesmo que nunca exerci tal controle, você poderá escolher o que fazer.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Lucinda Price em Sab 28 Nov 2015 - 18:02

Ela o observava em cada passo pelo espaçoso quarto, até mesmo a tensão em sua face ao fitá-lo através do reflexo no espelho disposto num dos cantos do ambiente. Ainda sentada na elegante poltrona, Lucinda cravou sutilmente as unhas nos braços aveludados do móvel enquanto sorvia cada palavra dos lábios de Uriel.

Aquela conversa era a muito tempo esperada e agora que o momento chegara ela não fazia ideia de como lidar com a situação, estava com a guarda baixa, desprotegida de qualquer intenção que seu mestre pudesse exercer sobre ela, pela primeira vez em muitos séculos Lucinda estava vulnerável. 

Lucinda antes de mais nada, irei dar o que sempre quis, se não for o seu maior desejo pelo menos deve ser o segundo, é isso significa sua liberdade - sentiu um nó se formar no estômago e o som daquelas palavras zuniram aos seus ouvidos - estará livre de qualquer vínculo ou obrigação para comigo, mesmo que nunca exerci tal controle, você poderá escolher o que fazer. - Uriel demonstrava uma seriedade nunca antes vista pela jovem e seu olhar a fez estremecer. 

Não se trata da minha liberdade. - suas mãos estavam tremulas e ela cruzou os braços reclinando na poltrona para disfarçar a tensão que a assolava. Por séculos ela implorou por sua simples liberdade tendo seu pedido sempre negado por aquele homem e agora, de repente, ele a oferecia de bom grado? Algo naquilo não a agradava. 

Porém, Lucinda realmente pretendia pedir por sua liberdade naquela noite, não para romper os laços que os uniam nem para desviar das consequências que Nicolau lançaria sobre eles, mas por motivos únicos que pertenciam somente a ela e que revelaria de acordo com o decorrer da conversa. E ali estava ela, bem no meio do decorrer da conversa que ela ansiava, mas que tomara um rumo totalmente diferente do que previra.

Lucinda o encarou com os olhos gélidos por um longo tempo enquanto o quarto mergulhava num silêncio fúnebre até levantar-se e caminhar de encontro a ele. A diferença de altura entre eles diminuiu quando Ivanov sentou-se na cama, a jovem então estacou a sua frente e o encarou deliberadamente na espera do real motivo que a trouxera àquele encontro.
avatar
Lucinda Price
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 48
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Sab 28 Nov 2015 - 18:37

As palavras de Uriel eram sinceras, ele estava disposto a dar a liberdade que Lucinda tanto queria, pois ele sabia que talvez seu caminho não teria um final feliz, é não permitiria que ela fosse arrastada por ele ao submundo escuro do inferno, pois era para onde ele sabia que iria.

A resposta dela sobre toda aquela conversa por vários anos ou encontros deles não eram por sua liberdade, Uriel sabia disso, mas isso era parte fundamental do que se seguiria depois, seus olhos se encontraram mais uma vez, como se pudesse ler seu olhar ele a viu questionar o porquê desta mudança

― Você deve está se perguntando porque resolvi falar tudo agora, é porque estou disposto a dar sua liberdade, mas não deve ser surpresa para você que vivi todos estes anos com apenas um proposito, um objetivo que consumiu toda minha humanidade, o pequeno fragmento que restou em mim sobreviveu por sua causa apenas.

Seu tom de voz, era tranquilo como se lembrasse de um passado tão distante que poderia se confundir com um sonho, ou uma história de um livro antigo, após uma pausa continuou.

― Hoje percebi que você corre perigo, um perigo que talvez nem mesmo eu possa proteger, quando soube que Maquiavel a pegou tudo que queria era avançar e enfrenta-lo, mas sabia que ele a usaria, e com isso me dei conta que apesar de imortais também estamos sujeitos ao esquecimento, é acredito que sua história está longe de terminar em um cativeiro.

Uriel suspirou, passando a mão pelos cabelos a presença de Lucinda era quase palpável, quanto ela havia ficado tão presente? Quando ela adquiriu tanta confiança? Sempre fora assim ou Uriel estava tão cego que sequer percebeu isso? Ele não sabia dizer, se remexeu na cama.

― Minha vingança está caminhando para seu desfecho a possibilidade de que saia vitorioso é pequeno, é mesmo que consiga o que almejo precisarei pagar com minha vida, e estou ciente disso, mas não me importo, Azrael ficará de olho em você caso queira fugir disso tudo sugiro que se esconda bem, a curiosidade do original pode ser meio obsessiva.

O tom de sua voz assumiu um tom frio é melancólico, não havia divertimento, ou sarcasmo em cada palavra como já tivesse passado por algumas experiências nada agradável.

― Lucinda quando humano é tive uma noiva... Você me lembra ela em alguns aspectos, nunca falei nada sobre minha vida humana, porque isso foi a muito tempo, é apesar disso ainda é capaz de me machucar mais do que qualquer prata ou estaca.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Lucinda Price em Sab 28 Nov 2015 - 22:14

As palavras a atingiam como pesados pingos de uma fria chuva de sentimentos que vinham a tona de um passado a muito esquecido. Ele realmente queria libertá-la, era evidente, a sinceridade em seus olhos atravessou-lhe como uma flecha, mas Lucinda não soube definir o que sentia diante o momento que se seguia, porém tinha certeza de não haver felicidade no misto de sensações que a inundava.

Sim, ela sabia melhor do que ninguém o que aquela vingança o causara, o quanto ela o consumiu durante tanto tempo enquanto esteve nessa caçada desenfreada por seu criador e o quanto ele desejava vingança. Ele podia não saber, mas ela o entendia sem compreender seus reais motivos;

Uriel passou a mão nos cabelos, seus movimentos demonstravam uma tensão reprimida enquanto tornou a falar no mesmo tom de seriedade sobre preocupar-se com ela, tal afirmação era surpreendente para Lucinda, nunca imaginou que ele realmente pudesse dizê-lo em voz alta, ainda mais diante dela. Um arrepiou percorreu-lhe as costas à menção do cativeiro que Nicolau a manteve, não pelo lugar nem pelas correntes, mas a pronuncia daquele nome causava-lhe náuseas. 

Minha vingança está caminhando para seu desfecho a possibilidade de que saia vitorioso é pequeno, é mesmo que consiga o que almejo precisarei pagar com minha vida, e estou ciente disso, mas não me importo, Azrael ficará de olho em você caso queira fugir disso tudo sugiro que se esconda bem, a curiosidade do original pode ser meio obsessiva. - ela sabia de tudo isso.

Fugir? - balançou levemente a cabeça penteando o cabelo para trás com uma das mãos enquanto pousou a outra na cintura desviando os olhos dos de Uriel - Acha que é assim tão simples? - por um momento ela não pôde encará-lo e deixou o silêncio preencher a curta distância entre eles até retomar a voz - Então é isso... Você me trás até aqui e agora simplesmente me descarta com a desculpa da tão sonhada liberdade enquanto você caminha para uma morte certa? Claro. - seus lábios moldaram-se num sorriso irônico exibindo seus dentes perfeitamente brancos, preferiu não encará-lo por hora.


Lucinda quando humano é tive uma noiva... Você me lembra ela em alguns aspectos, nunca falei nada sobre minha vida humana, porque isso foi a muito tempo, é apesar disso ainda é capaz de me machucar mais do que qualquer prata ou estaca. - Nunca imaginara que Uriel um dia tivesse amado alguém como mulher, muito menos que ela o fizesse recordar a amada. Toda essa história a atingiu como uma bala no peito fazendo-a voltar a encará-lo com um ligeiro assombro.

Não sabia como era lamentar-se por uma vida a qual tivera que abandonar a troco da eternidade, pois sua mente era uma tela em branco com alguns respingos de tinta que nada diziam, eram apenas borrões sem sentido e sem história, mas ele aparentemente recordava de tudo o que vivera em outra vida e os estragos causados pelas lembranças pareciam ser devastadores até mesmo para Ivanov.

Você não me deve explicações, Uriel, apenas faça o que tem que fazer. - Lucinda não queria soar dura demais, mas Uriel sempre fora o pilar e se ele ameaçasse desabar, então alguém deveria tomar o seu lugar e ela sabia que estava onde precisava estar.
avatar
Lucinda Price
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 48
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Sab 28 Nov 2015 - 23:05

Uriel sabia que Lucinda questionaria suas palavras não seria fácil para ela compreender as motivações dele, mais a menção de fugir pareceu a ofende-la, ela mexia nos cabelos com a mão fazendo o perfume do mesmo se espalhar por todo o quarto.

Ele sabia que seria difícil tudo que ele estava falando mais caso quisesse se manter fora disso seria a única escolha, ela continuou perguntando ou melhor se questionando o porquê ele havia trazido até aquele castelo, se estava descartando.

― Eu a trouxe aqui para protege-la, você sempre me disse que a coloco em assuntos que não lhe diz respeito, é acho que tem razão e se fiz é porque você é uma das poucas pessoas que confio realmente, a sua liberdade é apenas um presente adiantado, afinal com minha morte você a teria de qualquer jeito, a morte era para ter chegado a muito tempo para mim.

Uriel se levantou, caminhou até a janela que havia no quarto estava coberta por uma grossa colcha, a empurrando lentamente viu o céu clareando, sem se virar para Lucinda continuou.

― Minha noiva é minha cidade natal foi destruída por Maquiavel, mas ele achou que seria divertido fazer comigo o que o criador dele fez com ele, deixando-me quase morto, uma aposta de uma para cem, se sobreviveria...

Em sua pausa ouviu Lucinda dizer que não devia dar explicações a ela, que ele poderia fazer o que quisesse, isso era verdade mais ele queria dizer, afinal não saberia se teria outra chance, se virou para ela.

― Eu quero que saiba disso, para entender o homem que fui um dia, não no monstro que me tornei, que saiba que em mim havia luz e não apenas escuridão, em meu alento de quase morte vi o rosto de minha noiva ela disse que não era minha hora ainda. Isso é muito engraçado eu sei mais acabei não morrendo mais me tornando isso... ― Apontou para si mesmo.

Indo até a escrivaninha, ele abriu algumas gavetas, apenas para distrair as mãos.

― Fiz uma promessa em memória dela, é de todos que sucumbiram aquele dia que acabaria com ele, mesmo que me tornasse o que ele é, eu tirei vidas, matei com prazer, as vezes apenas por matar, sei que irei para o inferno mais irei leva-lo comigo. Azrael irá entrar em contato com os irmãos dele, isso significa que talvez eles possam aparecer, antes que isso aconteça sugiro que escape, se quiser pode levar a Anabelle, eu ouvi a conversa que tiveram no hotel é isso também me ajudou a pensar no que estou fazendo agora...
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Lucinda Price em Dom 29 Nov 2015 - 0:11

Lucinda ouviu calada as explicações de Uriel, ainda estava parada próximo ao lugar onde ele havia se sentada anteriormente enquanto fitava o vazio deixando sua mente vagar através das palavras que soavam confusas ao seu ouvido. Cada frase que ele proferia era repleta de uma dor imensurável sentida por ele de uma forma que ela nunca vira antes e ao ouvir que tudo o que um dia amara fora destruído por Maquiavel somente a fez compreender ainda mais seus motivos, a pronuncia daquele nome causava-lhe um desconforto único ao tempo que sua mente era invadida por imagens distorcidas dos sonhos que tivera quando esteve acorrentada e por um instante Lucinda pareceu saber como era perder tudo o que mais amava, como era ter o coração arrancado do peito e ainda continuar viva. Naquele momento tudo o que ela via era um ódio reprimido por anos a fio que transbordava disfarçado em lamentações.


Aparentemente Uriel se recordava de toda sua vida passada e a dor de deixar tudo para trás a troco da eternidade parecia ressoar constantemente em sua existência, aquele fardo parecia pesado demais até mesmo para Ivanov e vê-lo tão exposto era uma sensação confusa para a jovem.

Agora era ela quem havia se sentado na cama dando as costas para ele, seus lábios estavam entreabertos como se esperassem que as palavras certas fluíssem por eles, mas ela não sabia o que dizer. A menção da conversa que tivera com Anabelle no banheiro do ultimo hotel por qual passaram a fez arquear uma das sobrancelhas, tinha tomado cuidado para que ele não ouvisse nada, mas era de se esperar que seria em vão, afinal, não havia muitas coisas as quais conseguira omitir de Uriel.

Mais uma vez ele sugerira para que fugisse e tinha de admitir que isso a incomodava profundamente; Será que ele ouvira mesmo aquela conversa? Eles haviam passado por coisas demais para que ela apenas partisse agora, mesmo que a contra gosto ela também trabalhara para aquele objetivo e se ele fosse se concretizar em breve ela estaria por perto, mesmo que lhe custasse a vida.

Todos estamos condenados ao inferno, Uriel, não seja dramático. - sua voz era áspera - E sim, sempre lhe digo que me envolve em assuntos que não me dizem respeito, mas você é minha família e é isso que as famílias fazem, se sacrificam pelos outros. - balançou levemente a cabeça esfregando a testa com a palma da mão - Acha que ainda continuo aqui apenas pela minha submissão a você? - a jovem virou-se para ele procurando por seus olhos, mas desviou antes que se encontrassem - Diga-me Uriel, desejas que eu vá?
avatar
Lucinda Price
Vampiros
Vampiros

Mensagens : 48
Reputação : 1
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Uriel Ivanov em Dom 29 Nov 2015 - 11:49

Suas palavras pareciam ter dito um peso grande sobre Lucinda, mas ele sabia que  ela aguentaria, sempre fora forte, ela tentou argumentar com ele mais isso não aconteceria assim como determinado ele era teimoso.

― Se todos vamos por inferno eu não sei, mas eu tenho certeza, jamais poderia encontrar minha noiva, pois certamente ela estará em um lugar melhor.

Lucinda o chamou de família um termo que a muito Uriel não estava familiarizado a muito tempo.

― Você nunca esteve sobre meu comando, toda escolha foi feita por sua vontade, tudo que fiz foram pedidos que você poderia ter escolhido aceitar ou recusar, mas o que estou dizendo é que esta luta não é sua nunca foi, você tem suas próprias batalhas para enfrentar.

Uriel se voltou para Lucinda, neste exato momento, ela perguntou se ele desejava que ela fosse, a verdade era que um conflito interno surgia em seu interior, ele se perguntava se seria capaz de protege-la quando o momento chegasse, ou se algo acontecesse conseguiria conviver com isso.

― Sinceramente... Eu não sei o que quero em relação a você, pouquíssimas vezes me senti desta forma.
avatar
Uriel Ivanov
Admin
Admin

Mensagens : 99
Reputação : 0
Data de inscrição : 05/07/2015

Ver perfil do usuário http://origin-rpg2.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Castelo de Arundel

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum